A Arte de Voar

Por Tiago Pavinato Klein
Data: 3 maio, 2013

A Arte de VoarEditora: Veneta – Edição especial

Autor: Antonio Altarriba (roteiro) e Kim (arte) – Originalmente em El arte de volar.

Preço: R$ 29,90

Número de páginas: 224

Data de lançamento: Dezembro de 2012

Sinopse

O livro conta a vida de Antonio Altarriba, pai do autor. A infância de trabalho no mundo rural, o engajamento contra o fascismo na Guerra Civil Espanhola, a Resistência na França contra o nazismo, os anos pós-guerra e o final da vida em um asilo, em meio à depressão.

Positivo/Negativo

A arte de voar é o ótimo primeiro lançamento da Veneta, de propriedade de Rogério de Campos, ex-editor da Conrad. Premiada no Salão Internacional de Barcelona, trata-se de uma biografia do pai do autor.

A obra começa com o suicídio de Antonio Altarriba, que se joga do quarto andar do asilo onde passa o final de sua vida. E este não é nenhum spoiler, pois o fato dá o mote para o autor contar a vida do seu pai.

Altarriba, o filho, faz inclusive um interessante jogo estilístico: ele narra as primeiras páginas e, na sequência, se transubstancia na figura de seu pai, que, a partir de então, narra a própria história, dando o clima de uma autobiografia.

A história do protagonista está ligada aos movimentos sociais libertários na Europa no Século 20. O maior capítulo do livro mostra o seu envolvimento anarquista durante a Guerra Civil Espanhola e na Resistência Francesa contra o nazismo.

É o momento de sonhos, de ideais libertários, expresso na aliança formada pelos quatro personagens centrais deste momento do livro. Apesar do idealismo, os autores não são panfletários, nem se furtam de apresentar toda a problemática política: os diferentes pensamentos entre o anarquismo e o comunismo na Guerra Civil Espanhola; os antigos amigos que mudam seus posicionamentos por motivos políticos pessoais; as fortes críticas aos intelectuais e aos burocratas.

Esse período idealista do personagem também se inclui na “arte de voar”: os sonhos o moveram por quase duas décadas de sua vida.

Depois disso, a trama dá a guinada para a derrocada dos sonhos: para sobreviver, Altarriba trabalhar até com contrabando. O passar do tempo, a constituição de família, a derrocada das esperanças, a desilusão com a Espanha democrática, o levam para o último período, de depressão na velhice.

É uma obra marcante, com potencial para conquistar diversos públicos. Inscreve-se na linha de biografias em quadrinhos, de pessoas comuns, desconhecidas, mas que conseguem universalizar seus dramas particulares, ao fazer parte de um grande mosaico histórico.

Vai agradar quem gosta de temas políticos, pois traz a história da Europa, particularmente da Espanha, incutida em suas páginas – o tom pessimista que vai tomando conta da obra não afeta quem ainda mantém sonhos idealistas, mas faz pensar nos rumos que a política internacional está tomando e sobre onde estão realmente hoje os sonhos de mudança social.

A narrativa flui, o desenho de Kim é bonito e dá conta de manter o ritmo e as passagens simbólicas, surreais, ajudam a construir a vida do protagonista. Além disso, a edição é caprichada, a um preço convidativo. O texto final, no qual o autor conta o processo de criação do livro, é um complemento bastante interessante e dá o tom da emotividade presente na produção.

Enfim, A arte de voar é um documento biográfico e histórico construído com extrema competência. Que a Veneta publique no Brasil outros materiais como este. Bela estreia!

Classificação

4,5

• Outros artigos escritos por

.

.

.