A LEGENDA DE BATMAN

Por Gilberto M. M. Santos
Data: 1 dezembro, 2004


Autores: A origem de Batman – Len Wein (história) John Byrne & Jim Aparo (arte);

Com amigos como estes – Len Wein (história) Jim Aparo (desenhos).

Preço: Cr$ 80,00 (preço da época)

Número de páginas: 64

Data de lançamento: 1981

Sinopse: A revista traz duas histórias. A primeira, A origem do Batman, mostra o processo pessoal de formação do caráter de Bruce Wayne e os fatos que o levaram a criar o Batman, a tragédia, a escolha entre justiça e lei, o treinamento e, finalmente, a vingança contra Joe Chill, o assassino de seus pais.

Já em Com amigos como estes, são mostrados aspectos da vida daqueles que convivem com o Cavaleiro das Trevas, com ênfase nas diversas motivações, opções e sacrifícios que Lucius Fox, Gordon, Alfred, Barbara Gordon e Robin tiveram que fazer para serem amigos de Batman/Bruce Wayne.

Positivo/Negativo: Len Wein é um dos grandes escritores do mundo das HQs, e tem na habilidade de pensar no inusitado uma de suas maiores virtudes. Escritor de notável inspiração criou e/ou ajudou a criar o Esquadrão Suicida, o Monstro do Pântano, Wolverine e vários crossovers.

A história foi muito bem construída e, sem dúvida, junto com Batman – O Messias (minissérie lançada no Brasil no final da década de 1980, pela Abril) é uma das mais subestimadas obras do Batman, e sem dúvida uma das melhores.

Os dois artistas são de primeira linha, clássicos e com muito estilo. Jim Aparo, entretanto, possui um traço mais detalhista, seus personagens são sempre esguios e extremamente elegantes. Ele domina como poucos a anatomia humana, e isso aliado ao pleno domínio da arte de usar luz e sombras, faz com que uma legião de fãs o coloquem entre os melhores desenhistas do Cavaleiro das Trevas.

Outro ponto característico da arte de Aparo são os desenhos no sentido diagonal ao quadrinho. Essa técnica, além de dar à história um visual arrojado, permite que os personagens sejam retratados de forma ainda mais esguia.

Nesta edição em especial, Aparo mostra total domínio dessa técnica, por vezes desenhando num mesmo quadrinho, em três planos diferentes; um com desenhos seguindo uma diagonal, os elementos do segundo plano na outra diagonal e ainda um terceiro plano na vertical, dando uma fantástica tridimensionalidade à arte.

É interessante observar e comparar os storyboards dos dois desenhistas. Enquanto Aparo usa seus desenhos colocados em eixos de sentidos distintos dentro do mesmo quadrinho, para obter o efeito de tridimensionalidade, Byrne consegue isso usando perspectivas.

A revista traz ainda três páginas nas quais são mostradas as naves, a bat-caverna e suas divisões e, claro, o cinto de utilidades e suas bat-bugigangas.

O ponto negativo desta edição: uma história com essa qualidade mereceria sorte melhor do que ser editada em formatinho.

Classificação:

4,0

• Outros artigos escritos por

.

.

.