Aâma # 1 – O cheiro da poeira quente

Por Audaci Junior
Data: 25 julho, 2014

Aâma # 1 – O cheiro da poeira quenteEditora: Nemo Série em quatro volumes

Autor: Frederik Peeters (roteiro e arte) – Originalmente em Aâma # 1 – L’odeur de la poussière chaude (tradução de Fernando Scheibe).

Preço: R$ 39,00

Número de páginas: 88

Data de lançamento: Março de 2014

Sinopse

Num futuro distante, Verloc Nim acorda com amnésia, perdido num planeta inóspito. Graças a um diário que o gorila-robô Churchill lhe entrega, ele começa a acessar seu passado.

Verloc descobre, então, que leva uma vida miserável e perdeu o trabalho, a esposa e a filha. Em meio a tudo, seu irmão o leva numa viagem com o objetivo de recuperar um misterioso produto científico. Mas as coisas parecem não ter saído como esperavam.

Positivo/Negativo

Depois de apresentar – junto com o roteirista francês Pierre-Oscar Lévy – uma espécie de episódio de Além da Imaginação, no álbum Castelo de Areia (lançado em 2011, pela Tordesilhas), o suíço Frederik Peeters volta a ser publicado no Brasil com a ficção científica Aâma.

Inicialmente, é apresentado o amnésico Verloc Nim, tão desnorteado quanto o próprio leitor. As respostas vêm aos poucos, em conta-gotas, com base no diário escrito pelo próprio nos últimos dias antes de perder a memória.

A partir desse ponto, é revelado um ambiente digno da obra de Philip K. Dick (1928-1982), no qual novos tipos de drogas, parafernália hipertecnológica e a dependência das modificações genéticas ditam a ordem mundial.

Por meio das suas anotações, o protagonista começa a relembrar que está no fundo do poço: viciado e separado da mulher, ele é impedido de ver a filha, além de perder facilmente a loja herdada do pai para um vigarista. Apesar do seu abuso de drogas futuristas, Verloc não faz uso de implantes ou modificações genéticas, uma prática bastante corriqueira para a maioria da população.

Em meio ao caos de uma sociedade tecnocrata, ele encontra seu irmão, Conrad, funcionário de uma companhia de biorrobótica que o convida para uma missão junto com o mecânico gorila guarda-costas e fumador de charutos Churchill: descobrir o que aconteceu a uma comunidade científica exploratória de um planeta distante após cinco anos sem contato com a Terra.

Aos poucos, as peças do quebra-cabeça da memória do personagem vão se encaixando. Verloc Nim descobre que a missão vai além de um simples resgate, revelando o envolvimento de um misterioso produto chamado Aâma e da sua filha desaparecida.

À medida que o quadrinhista vai revelando as respostas, são deixadas mais perguntas, mantendo o interesse do leitor para o próximo volume.

Com uma arte detalhista, limpa e elegante, Peeters desnuda um mundo inventivo povoado por alienígenas e uma caótica arquitetura, como os apresentados por Moebius (1938-2012), uma das influências já confidenciadas pelo autor.

Com três edições já publicadas na Europa, a obra recebeu o prêmio de Melhor Série pelo seu segundo volume, no 40º Festival de Angoulême, na França, em 2013.

Diferentemente da maioria das publicações da Nemo, que são lançadas em capa dura, Aâma # 1 – O cheiro da poeira quente tem capa cartonada sem orelhas, formato 20 x 28 cm e uma boa impressão em papel couché.

Em tempo: também premiado em Angoulême, o álbum Comprimidos Azuis, do mesmo autor, ganhou uma versão em português pela Devir em Portugal. A HQ mostra os percalços vividos por um jovem casal, em que ela é soropositivo. A história é baseada na vida de Peeters e sua mulher.

Classificação

4,0

• Outros artigos escritos por

.

.

.