ACHADOS E PERDIDOS

Por Liber Paz
Data: 1 dezembro, 2011

ACHADOS E PERDIDOS

Editora: Quadrinhos Rasos – Edição especial

Autores: Eduardo Damasceno e Luís Felipe Garrocho (texto e arte) e Bruno Ito (trilha sonora).

Preço: R$ 30,00

Número de páginas: 212

Data de lançamentoNovembro de 2011

 

Sinopse

Dev é um adolescente que tem muitos problemas, mas, ao acordar numa manhã, se encontra diante de uma situação completamente inédita: há um buraco negro em sua barriga.

Seu amigo Pipo fica fascinado com o fenômeno e decide ajudar Dev a desvendá-lo. Nessa investigação, os garotos acabam topando com Laura, uma garota que mantém vários segredos.

Positivo/Negativo

Para muitas pessoas, a adolescência é um período conturbado, no qual a construção da identidade vai sendo feita entre incertezas, ausências afetivas, inquietações, culpas e inseguranças.

Essas vicissitudes afligem Laura e, especialmente, Dev.

Achados e Perdidos é um passeio por esse terreno acidentado e espantoso da juventude.

Com sensibilidade e bom humor, os autores se valem de uma situação extraordinária para contar uma história sobre intensos conflitos emocionais. O mistério por trás do “buraco negro” e todas as suas fantásticas implicações coexistem harmoniosamente com a representação convincente do cotidiano comum.

Os diálogos e a arte são leves e despretensiosos e servem de base para a apresentação e desenvolvimento de personagens simpáticos, autênticos e extremamente críveis.

Pipo destaca-se entre os três protagonistas por sua personalidade despreocupada e brincalhona. É um sujeito alegre e desencanado, que proporciona um contraste interessantíssimo quando comparado com Laura e Dev.

O layout das páginas é dinâmico, alternando boas cenas de diálogos com sequências completamente silenciosas, que dão ênfase ao suspense, tensão, humor ou introspecção dos personagens.

É interessante notar o desenho dos balões, definido apenas pelas cores ao redor e sem um traço preto. Os ápices são longos, descrevem voltas e curvas e ocasionalmente parecem sair de dentro da garganta dos personagens. Essas características se associam com a entonação da voz e o estado de espírito.

Além da trama e dos aspectos formais, Achados e Perdidos chama a atenção por uma série de peculiaridades em sua produção.

Os autores Damasceno e Garrocho dividem entre si a elaboração dos textos, desenhos e coloração. Esse processo é descrito em um anexo ao final do álbum.

A dupla mineira começou suas atividades em quadrinhos com a publicação de histórias curtas feitas a partir de músicas e canções no site Quadrinhos Rasos, em setembro de 2010.

Achados e Perdidos é seu primeiro trabalho longo e foi produzido a partir da cooperação de mais de 500 pessoas por intermédio de uma plataforma de financiamento colaborativo, a Catarse. Com isso, foram levantados os fundos necessários para a impressão do álbum e do CD que o acompanha.

Aliás, aí está outra característica interessante: a obra possui uma trilha sonora própria, criada pelo músico Bruno Ito.

Trabalhando em conjunto com os autores, ele produziu oito músicas, cada uma composta especificamente para um capítulo da história. Essa trilha sonora é de ótima qualidade e está gravada no CD que acompanha o álbum.

Todas essas características fazem de Achados e Perdidos um trabalho muito especial – candidatíssimo ao HQ Mix de melhor projeto editorial de 2011.

Primeiro pelos méritos narrativos da própria história em si, cheia de sentimento, autenticidade e energia, sem cair em afetações e floreios poéticos pretensiosos.

Segundo por mostrar as novas possibilidades de um quadrinho autoral independente, com a realização de sua impressão baseada em uma ação coletiva de leitores genuinamente interessados.

Agora, além das editoras especializadas e de incentivos governamentais, abre-se esse novo caminho para a elaboração de álbuns com ótimo conteúdo e qualidade gráfica por um preço extremamente competitivo e atraente.

A edição, em papel encorpado, tem algumas vírgulas de vocativos faltando aqui e ali e grafias erradas, como “super poderes”, mas nada que a diminua. Por isso, fica o desejo de que futuros projetos de outros autores sigam o exemplo deste Achados e Perdidos.

Classificação:

4,0

• Outros artigos escritos por

.

.

.