ADAM STRANGE – MISTÉRIO NO ESPAÇO

Por Fernando Viti
Data: 1 dezembro, 2006


Título: ADAM STRANGE – MISTÉRIO NO ESPAÇO (Panini
Comics
) – Minissérie mensal em quatro partes
Autores: Adandy Diggle (roteiro) e Pasqual Ferry (desenhos).

Preço: R$ 5,90

Número de páginas: 48

Data de lançamento:Janeiro de 2005.

Sinopse: Adam Strange deve explicações à policia de Gotham City. Seu apartamento foi destruído, e lá foi encontrada uma foto comprometedora sua.

No interrogatório, ninguém acredita que Strange é um humano que se tornou um herói no planeta Rann e salvou os seus habitantes graças à sua herança genética. Nem que deixou por lá esposa e filha.

Como se não bastasse a pressão policial, o herói tem que conviver com a informação de que uma supernova acabou com Rann. Será o que de fato aconteceu ou o Superman está enganado?

Positivo/Negativo: Adam Strange é um saudoso personagem, fruto de uma era distante, os anos 50 (sua estréia ocorreu em Showcase # 17, de novembro/dezembro de 1958), quando se acreditava piamente que as maravilhas da tecnologia tornariam a vida mais fácil e seriam acessíveis a todos. Um bom exemplo disso é a própria idéia de um herói que voa com uma turbina à costas… E não se queima.

O que torna Adam Strange interessante não é tanto esses absurdos, mas a idéia de que um ser humano da Terra, parente dos símios, salvaria uma espécie alienígena ao manter relações sexuais com uma alienígena (linda, por sinal) e, ainda por cima, conseguiria gerar vida. Fantástico!

No anos 90, Alan Moore criou uma aventura para o Monstro do Pântano e Adam Strange que fez um fino humor com esses aspectos personagem.

Mas sobre a minissérie, que terá importância vital nos fatos que chacoalharão o Universo DC em breve, o tom é mais dramático, ainda que haja algum espaço para o humor.

As seqüências de ação são ótimas; e o conflito que motiva os embates é envolvente. Diggle e Ferry conseguiram formar uma boa dupla, e o casamento roteiro e desenho flui na velocidade certa, prendendo a atenção do leitor.

Esta aventura promete.

 

Classificação:

4,0

• Outros artigos escritos por

.

.

.