AS AVENTURAS DO LEÃO NEGRO # 1

Por Sidney Gusman
Data: 1 dezembro, 2004


Autores: Cynthia Carvalho (roteiro) e Ofeliano de Almeida (desenhos).

Preço: R$ 10,00 mais o valor do Sedex

Número de páginas: 48

Data de lançamento: Março de 2004

Sinopse: Álbum com três histórias de Othan, o Leão Negro, um bárbaro que vive num planeta habitado por vários tipos de felinos, numa época similar à nossa Idade Média.

Na Ilha de Gardo – Mostra pela primeira vez o lar de Othan, seu intolerante irmão Isauh, a inocente escrava Hera e a voluntariosa leoa militar Tchí, o grande amor da vida do Leão Negro.

No Mundo Subterrâneo – Othan segue Tchí para tentar recuperar a tropa da leoa, escravizada pelo inimigo nas minas do mundo subterrâneo

Magala – Uma adaptação de um conto curto e sangrento da Távola Redonda, mostrando até onde pode ir aquele que é honrado.

Positivo/Negativo: Na década de 1980, não eram poucos os compradores do jornal O Globo cuja primeira leitura era a tira de Othan, o Leão Negro.

Trata-se de um material de excelente qualidade, tanto que o personagem chegou a ser editado num álbum pela portuguesa Meribérica e teve uma história na Brasilian Heavy Metal.

Por isso, quando os autores resolveram reeditar suas aventuras em cinco álbuns, muita gente (com razão) comemorou. Mas o melhor é que uma nova geração de leitores poderá conferir esse trabalho a partir de agora.

Os roteiros de Cynthia Carvalho são muito bem conduzidos, prova de que há, sim, no Brasil, mulheres que sabem escrever quadrinhos. E os desenhos de Ofeliano de Almeida são tão bonitos que, por vezes, dá vontade de vê-los maiores, ampliados. Como o formato não permite isso, vale apreciar seu domínio de luzes e sombras e sua narrativa precisa, ditando o ritmo perfeito à trama.

A primeira aventura mostra as condições nada agradáveis em que Othan e Tchí se conhecem (ele foi aprisionado por seu irmão no calabouço do castelo de sua família, quando ela chega para ter o mesmo destino, pois foi adquirida como escrava).

E é justamente no final da trama, após reverterem a difícil situação em que se encontravam, que Othan mostra sua índole. O Leão Negro aceita ajudar Tchí a recuperar sua tropa, mas exige dinheiro em troca ou… que ela abandone a carreira militar e vá viver aventuras ao lado dele, como uma mercenária.

A segunda história, No Mundo Subterrâneo, é cheia de reviravoltas interessantes, que prendem a atenção do leitor. O final traz uma decepção enorme para Othan, em relação a Tchí.

Mas o melhor ficou para o final. Magala, a história que havia sido na Brasilian Heavy Metal, por ter sido concebida em forma de HQ, e não de tiras, valoriza mais o desenho de Ofeliano. Além disso, a trama, na qual Othan é encarregado pela bruxa que batiza a história de cobrar uma dívida de sangue com o nobre Hosir, apesar de curta, é envolvente.

Magala não queria dinheiro, apenas a vida que fosse mais cara a Hosir. O final é surpreendente e mostra bem o que a palavra “honra” significava nos tempos do Leão Negro.

A edição está muito bem impressa e com um papel bom. Há um ou outro vacilo de português, que deveria ter sido corrigido, como um “o que ele quiz dizer?” (o correto, claro, seria quis), mas nada que tire o valor desta iniciativa, que traz de volta à cena um dos melhores quadrinhos nacionais das últimas décadas.

Classificação:

4,0

• Outros artigos escritos por

.

.

.