Asterix entre os Pictos

Por Rodrigo Scama
Data: 15 março, 2016

Asterix entre os PictosEditora: Record – Edição especial

Autores: Jean-Yves Ferri (texto) e Didier Conrad (desenhos).

Preço: R$ 32,00

Número de páginas: 48

Data de lançamento: Dezembro de 2013

Sinopse

Na única aldeia de irredutíveis gauleses que resiste a Roma, Obelix, após encontrar um homem congelado em um grande bloco de gelo, viverá – junto com Asterix – mais uma de suas aventuras, desta vez no terreno dos Pictos.

Positivo/Negativo

A tarefa de Ferri e Conrad, autores deste álbum, era monstruosa. Não que produzir uma aventura de Asterix e seus camaradas seja uma tarefa impossível. Afinal, são personagens consolidados, com características marcantes e gags que praticamente surgem sozinhas. Mas não é tão fácil convencer os franceses, famosos por seu conservadorismo, que outra dupla poderia assumir o trabalho de René Goscinny (morto em 1977) e Albert Uderzo, que decidiu se aposentar em 2011.

Na França, houve muita reclamação, choro e ranger de dentes. Alguns diziam que Uderzo poderia fazer mais uma história, e a grande maioria dos descontentes achava que todas as histórias de Asterix e Obelix já tinham sido contadas, e seria melhor aposentar os personagens.

Mas Ferri e Conrad aceitaram a empreitada e realizaram um grande trabalho. Não apenas deram vida a uma história digna de Asterix, como também superaram as duas últimas escritas e desenhadas por Uderzo, principalmente O dia em que o céu caiu, que é, de todas os álbuns da série, o mais fraco, tanto no enredo quanto nos desenhos.

A nova dupla criativa recuperou o detalhamento que havia nas histórias do baixinho gaulês. Ainda não chegou ao nível das clássicas dos anos 1960 e 1970, mas não fez feio. A trama é bem construída, mostrando um picto (escocês) preso dentro de um bloco de gelo que precisa da ajuda para voltar à sua terra, restituir o poder ao povo e recuperar sua amada.

Como em todas as aventuras de Asterix, há diversas citações e paródias ao longo da jornada. Nesta, o leitor se diverte com os picto-gramas, os kilts e um certo monstro que habita um lago escocês.

A história é rápida e tem um ritmo instigante. O humor, o amor e a aventura mesclam-se de forma tão natural, que é difícil não ficar com um sorriso nos lábios durante a leitura. Da mesma forma, é duro não sentir um vazio quando ela acaba.

Os desenhos de Conrad são uma emulação perfeita dos de Uderzo. Aliás, neste primeiro álbum é complicado identificar a personalidade do novo artista. Isso é muito bom, pois confere uma unidade ao trabalho na série, mas também ruim, já que pode parecer que ele não ousou se expressar. Ainda.

De qualquer forma, Asterix entre os Pictos é uma grande aventura do gaulês irredutível e seu amigo que caiu no caldeirão da porção mágica quando era criança. Tão bom quanto deve ser um álbum desses clássicos personagens.

Classificação

4,0

.

Compre Asterix entre os Pictos aqui!

• Outros artigos escritos por

.

.

.