Axe Cop – Volume 1

Por Milena Azevedo
Data: 10 abril, 2015

Editora:Axe Cop – Volume 1 Dark Horse – Edição especial

Autores: Malachai Nicolle (roteiro) e Ethan Nicolle (arte).

Preço: US$ 14,99

Número de páginas: 144

Data de lançamento: Dezembro de 2010

Sinopse

O álbum reúne o primeiro ano da webcomic homônima, que conquistou a atenção de vários leitores ao redor do mundo, com as insanas aventuras do Axe Cop e sua equipe.

Positivo/Negativo

Dar ouvidos às histórias mirabolantes das crianças pode render fama, prestígio e dinheiro. Pelo menos para os irmãos Malachai e Ethan Nicolle.

No final de 2009, Ethan estava brincando com seu irmão de cinco anos e gostou bastante de um personagem que ele havia inventado: o Axe Cop (Policial do Machado, numa tradução literal), que sempre usava seu machado para decepar as cabeças dos bandidos. Então, resolveu criar despretensiosas histórias em quadrinhos a quatro mãos com o maninho.

Com seis aventuras curtas prontas, em janeiro de 2010, Ethan colocou a webcomic no ar. Dois dias depois, já era um sucesso absoluto, tanto que a série acabou sendo sua porta de entrada para a Dark Horse (que até o momento publicou seis encadernados do Axe Cop), e para a criação de uma pequena franquia, com direito a seriado animado de TV, card game e uma websérie (veja aqui).

Axe Cop – Volume 1 traz todas as histórias publicadas na internet ao longo de 2010, junto àquelas criadas para a seção Ask Axe Cop, e uma galeria com desenhos de sete artistas. Tudo no bom e velho preto e branco.

As primeiras HQs têm de uma a três páginas, e basicamente apresentam a formação da equipe do Axe Cop (com o Flute Cop – que vai virar Dinosaur Soldier, Avocado Soldier e Uni-Avocado Soldier –, o Sockarang, o Babyman, o Uni-Man, e o cachorro Ralph Wrinkles).

As tramas da seção Ask Axe Cop foram criadas a partir de perguntas feitas pelos leitores, respondidas em forma de tiras ou HQs de até duas páginas (Ethan conta que sempre consultava Malachai pelo telefone). Além de apresentarem mais personagens (como o T. Rex Wexter, um dinossauro que tem metralhadoras superpotentes no lugar das patas dianteiras), contavam um pouco do background do Axe Cop (como era sua família, como foi sua infância, por que ele resolveu combater o crime).

E as três aventuras mais longas, com histórias de até 49 páginas, trazem ainda mais nonsense (aparece até uma arma que suga cocô!) e um aprimoramento do traço cartunesco de Ethan.

Nelas, a imaginação de Malachai rola solta, e Ethan aproveita para acrescentar referências à cultura pop (como os Moon Warriors, que são uma paródia de Double Dragon com vampiros e lobisomens).

Povoadas por personagens unidimensionais e maniqueístas, algo próprio da imaginação infantil, as histórias do Axe Cop rendem boas gargalhadas. Porém, as piadas vão se repetindo e, numa história com uma narrativa mais longa, elas acabam se tornando tediosas.

Classificação

3,0

• Outros artigos escritos por

.