BATMAN # 28

Por Zé Oliboni
Data: 1 dezembro, 2005


Título: BATMAN # 28 (Panini
Comics
) – Revista mensal
Autores: Detective Comics – Anderson Gabrych (roteiro) e Pete Woods (desenhos);

A morte e as Donzelas – Greg Rucka (argumento) e Klaus Janson (arte).

Preço: R$ 6,90

Número de páginas: 96

Data de lançamento: Março de 2005

Sinopse: Beco sem Saída – Batman e Leslie terão que correr para salvar uma garota grávida e seu bebê.

A morte e as Donzelas – Batman terá que cumprir sua parte no acordo com Ra’s.

Positivo/Negativo: Felizmente, Beco sem Saída foi publicado em uma única edição, junto com A morte e as Donzelas , tornando este mais um número dispensável para os leitores de Batman.

Um roteiro comum, que como sempre mistura o presente com a infância sofrida de Bruce, não mostra o Batman “detetivesco”, mas sim um lutador apoiado em alta tecnologia e com o suporte da Oráculo nas pesquisas.

A única dedução que o Morcego se dá ao trabalho de ter está concentrada em dois quadros nas páginas 53 e 54, de resto, qualquer outro herói poderia ter chegado onde ele chegou. Para completar, a trama se resolve de uma forma um tanto nebulosa, sem uma explicação oficial, deixando o trabalho de detetive para o leitor.

Pete Woods faz uma arte comum, sem nada de mais. O único destaque fica para o trabalho das cores quando se retrata a infância de Bruce e para as excelentes capas de Tim Sale, expostas no interior da revista, principalmente a da primeira história. É interessante ver que justamente a mais medíocre das três foi a escolhida para a revista.

A morte e as Donzelas prossegue sua narrativa morosa e sem sal, completada com os piores desenhos desde que a minissérie começou. A arte está suja, mal acabada e feita com pouco empenho pelo desenhista, que também deve ter perdido o interesse pela história. Vide a última página, quando o Batman aparece e o rifle do atirador some sem motivo aparente.

 

Classificação:

4,0

• Outros artigos escritos por

.

.

.