Batman # 31 – Novos 52

Por Ricardo Malta Barbeira
Data: 24 abril, 2015

Batman # 31 - Novos 52Editora: Panini Comics – Revista mensal

Autores: Cidade Selvagem – Parte 1 (Batman # 30) – Scott Snyder (roteiro), Greg Capullo (desenhos), Danny Miki (arte-final) e FCO Pascencia (cores);

Animal corporativo (Batman – The Dark Knight # 28) – Gregg Hurwitz (roteiro), Ethan Van Sciver (arte) e Hi-Fi (cores);

Nas sombras (Batman – The Dark Knight # 29) – Gregg Hurwitz (roteiro), Jorge Lucas com Ethan Van Sciver (arte) e Hi-Fi (cores).

Preço: R$ 7,90

Número de páginas: 72

Data de lançamento: Fevereiro de 2015

Sinopse

Batman – Gotham City sob o controle do Charada.

Batman – O Cavaleiro das Trevas – Surge um novo e mais perigoso Morcego Humano.

Positivo/Negativo

Começa neste número Cidade Selvagem, terceiro e último arco de Ano Zero, a saga que redefine os primeiros dias de Bruce Wayne como Batman em Os Novos 52.

Depois de combater a gangue do Capuz Vermelho em Cidade Secreta (Batman # 21 a # 24) e o Doutor Morte em Cidade Sombria (Batman # 25 a # 29), Batman vê Gotham completamente à mercê dos caprichos do Charada, que com um plano muito bem engendrado conseguiu controle absoluto de tudo e todos.

Recuperado, mas em larga desvantagem, o herói começa a traçar um plano de ação para derrotar um inimigo praticamente onisciente do que acontece em Gotham City.

Não dá para negar que esse Charada causa estranheza à primeira vista, mas o trabalho que Scott Snyder vem construindo já há alguns meses com o vilão é muito bom.

Longe do bobalhão de não tantos anos atrás, esse Charada é de uma arrogância enorme e de uma inteligência ainda maior.

Pode se argumentar – com razão – que todos os vilões do Batman nas mãos de Snyder viraram literalmente “gênios do crime”, mas até aqui essa remodelação tem mais pontos positivos do que negativos, o que pode inclusive chamar a atenção de novos leitores para um personagem com mais de 75 anos e que por vezes parecia engessado devido a uma cronologia tão vasta.

Agora é esperar que o roteirista segure esse bom ritmo até o final de Cidade Selvagem.

Na sequência, duas histórias de Batman – O Cavaleiro das Trevas em que o herói enfrenta um novo e mais poderoso Morcego Humano.

O roteiro é regular, mas o que chama a atenção na primeira parte da trama é a arte de Ethan Van Sciver, principalmente quando desenha o inimigo do herói.

A segunda parte perde um pouco da força tanto na arte dividida entre Van Sciver e Jorge Lucas, quanto na narrativa, mas ainda assim tem boas doses de ação e aventura.

Classificação

3,0

• Outros artigos escritos por

.

.

.