Batman – Pequena Gotham

Por Isabelle Felix
Data: 24 junho, 2016

Batman – Pequena GothamEditora: Panini Comics – Edição especial

Autores: Derek Fridolfs (texto) e Dustin Nguyen (texto e arte) – Originalmente em Batman – Li’l Gotham # 1 a # 6

Preço: R$ 22,90

Número de páginas: 128

Data de lançamento: Fevereiro de 2015

Sinopse: Uma reunião de histórias que se passam em datas comemorativas protagonizadas pelos personagens de Gotham City, em versões infantilizadas.

Positivo/Negativo

Batman – Pequena Gotham possui uma fórmula muito simples: os personagens do universo do Morcego estrelando histórias em datas especiais, com um traço fofinho.

O responsável por essa “fofurice” é Dustin Nguyen, também coautor dos roteiros com Derek Fridolfs. Aqui, todos os personagens são meio babies e têm uma arte aquarelada que deu leveza e fluidez às tramas.

O que a arte cartunizada de Skottie Young (O Mágico de Oz, X-Babies) possui de descolada e engraçada, a de Nguyen tem de graciosidade.

As 14 histórias que compõem o encadernado são ligadas a datas comemorativas. Assim, o Dia dos Namorados tem a Arlequina e seu Pudinzinho, o Coringa; o Dia dos Pais traz Alfred, Gordon e Ra’s Al Ghul; e o Halloween, Damian e Batman.

Alguns contos são bem engraçadinhos e recheados de detalhes que arrancarão um sorriso maroto dos velhos leitores. Outros são só legais. Mas o conjunto é divertido e sempre com aquele típico timing de piada americana, quase numa pegada de sitcom.

Para os colecionadores, é uma obra leve, para o leitor dar uma relaxada, sem precisar devorar tudo de uma vez. Afinal, não existe continuidade entre as histórias.

O comprador ocasional também vai curtir este material, pois ele apresenta (quase) todos os personagens que povoam o universo do Batman. E isso termina sendo uma boa forma de aprender sobre suas personalidades e seus trejeitos.

Algumas situações se mostram improváveis no universo oficial da DC. Mas na obra elas terminam sendo uma espécie de alívio, pois mostram um pouco dos bastidores das vidas dos personagens tão conhecidos.

Exemplo: imaginar o Batman sendo pai é uma coisa, e isso já foi mostrado timidamente em algumas de suas histórias. Mas aqui essa ideia é desenvolvida.

Os destaques do álbum são as duas belas e delicadas histórias protagonizadas pelo Sr. Frio; Revolução de Ano Novo (brincadeira com Resolução de Ano Novo), na qual as badgirls Arlequina e Hera Venenosa arrastam a Mulher-Gato para fazer “bondades”; e a do Dia das Mães, em que Damian tenta ajudar Colin a achar sua mãe, mas acaba sendo socorrido, graças aos seus pais, Batman e Tália.

A edição da Panini é em capa dura e impressa em papel couché. Enfim, é um entretenimento despretensioso e divertido. Válido para todas as idades.

Classificação

3,5

.

Compre Batman – Pequena Gotham aqui!

• Outros artigos escritos por

.

  • Canoa Furada

    Boa resenha. Espero que a Panini publique o restante desse material.