Batman – Vigilantes de Gotham # 45

Por Rodrigo L. Monteiro
Data: 24 março, 2001

Batman – Vigilantes de Gotham # 45Editora: Editora Abril – Revista mensal (último número)

Autores: Batman – Ian Edginton (argumentos) e D’Israel (desenhos);

Mulher-Gato – Devin K. Grayson (argumentos), Jim Balent (desenhos) e Marlo Alquiza (arte-final);

Robin – Chuck Dixon (argumentos), Staz Johnson (desenhos) e Stan Woch (arte-final).

Preço: R$ 3,50

Data de lançamento: Julho de 2000

Sinopse

Começa o terceiro arco de histórias da saga Terra de Ninguém. Desta vez, Batman tenta conquistar um dos pontos mais importantes da Gotham Pós-Terremoto: o ninho do Pingüim, que, para muitos sobreviventes, é a única esperança.

Mas fazer um acordo com o Pingüim é o mesmo que vender sua alma ao diabo. O Homem Morcego sabe que esse é um passo importante para reconquistar não só a cidade, mas também sua posição frente aos bandidos, que não o respeitam mais. Enquanto isso, o Comissário Gordon e seus polícias tentam derrubar novas gangues.

Na história seguinte, a Mulher-Gato começa sua campanha para prefeita de Nova York, mas existem pessoas que não estão nem um pouco satisfeitas com a repentina ascensão de Selina Kyle, e assassinos são contratados para matá-la, inclusive uma pessoa de sua confiança.

A última edição de Batman – Vigilantes de Gotham se encerra com uma história de Robin. Ele e Flash continuam tentando resolver as charadas e prender os vilões. Apesar de querer voltar para Gotham e rever Steph, o Menino Prodígio é obrigado a continuar em Keystone.

Positivo/Negativo

Este arco de histórias da saga Terra de Ninguém ganha traços de desenho animado, graças ao estilo do desenhista D’Israel.

Muito interessante o arco, que coloca os personagens em uma posição talvez nunca pensada. Fazer acordos nada corretos para um bem maior, barganhar para conseguir sobreviver e impor respeito são as principais metas da vida das pessoas. Hoje, não se vive mais em Gotham. Tenta-se sobreviver nela.

A história da Mulher-Gato continua fraca, e as do Robin eram melhores quando o personagem estava em Gotham. Sua parceria com Flash não funcionou muito bem.

Classificação

3,5

• Outros artigos escritos por

.

.

.