BRAD BARRON # 1

Por José Ricardo do Socorro Lima
Data: 1 dezembro, 2005


Título: BRAD BARRON # 1 – (Sergio
Bonelli Editore
) – Revista mensal
Autores: Tito Faraci (roteiro) e Bruno Brindisi (desenhos)

Preço: 2,50 Euros

Número de páginas: 96

Data de lançamento: Maio de 2005

Sinopse: Num dia qualquer de 1956, a tranqüila rotina dos cidadãos de Nova York foi abalada por um evento que mudará para sempre o curso da História: os Morb decidiram conquistar a Terra.

Eles vêm de uma galáxia remota, têm o aspecto de répteis monstruosos e não conhecem a palavra piedade. Inúmeras civilizações bem mais evoluídas que a nossa já foram dizimadas, por terem-se oposto à invasão.

“A única possibilidade de sobrevivência para os terrestres é a rendição. A única alternativa… a morte”, anuncia o ameaçador Har-Kar, o alto-comandante da frota baseada em Nova York, em uma mensagem transmitida pela televisão.

No entanto, os alienígenas não contam com a força física e mental de Brad Barron, um homem que participou da 2a Guerra Mundial, foi professor de Biologia e escreveu um estudo sobre hipóteses de vida extraterrestre. Hoje, privado de sua família (a mulher Glória e a filha Lucy), caiu nas garras dos Morb, que o usam como cobaia em alucinantes experimentos que avaliam sua capacidade de resistência.

E justamente ele que sonhava com a paz foi obrigado a voltar a pegar numa arma de fogo, demonstrando toda a coragem e a tenacidade de um herói duro e puro, mas que não é infalível, nem invencível.

Positivo/Negativo: Neste primeiro número, o editor Sergio Bonelli explica ao leitor que, devido à sempre preocupante queda no número de leitores, com o conseqüente cancelamento de séries clássicas como Nick Raider e Mister No, teve de procurar novas fórmulas para continuar com seus fumetti em banca.

Assim, nasce a primeira maxissérie do novo século (no passado, já tivemos, por exemplo, Judas e A História do Oeste), a ser desenvolvida em dezoito números mensais.

O primeiro episódio bebe na fonte de filmes como Independence Day, Alien, o 8o Passageiro, Aliança Mortal, A Guerra dos Mundos (o da década de 1950) e até em episódios de Além da Imaginação.

O texto de Tito Faraci conduz com mestria a história, o que faz parecer que Brad Barron tem tudo para ser um ótimo título a ser publicado no Brasil, talvez pela Ediouro, como foi informado pelo editor Rodrigo Fonseca ao Portal TexBR.

O desenhista Bruno Brindisi consegue transformar cada quadro em uma cena de cinema. A seqüência da ponte do Brooklin sendo destruída por uma nave alienígena parece ter movimento.

Seu estilo de desenho é bastante limpo e preciso, o que agrada bastante os fãs de ficção-científica, aventura e suspense.

 

Classificação:

4,0

• Outros artigos escritos por

.

.

.