BRAVURA INDÔMITA – UM NEGÓCIO PESADO

Por André Craveiro
Data: 1 dezembro, 2011

BRAVURA INDÔMITA - UM NEGÓCIO PESADO

Editora: HQ online

Autor: Christian Wildgoose (roteiro e desenhos).

Preço: Gratuito

Número de páginas: 24

Data de lançamento: 2011

 

Sinopse

O xerife Reuben J. “Rooster” Cogburn, intimado como testemunha no julgamento de um duplo homicídio cometido pelos irmãos Wharton, depõe sobre os fatos ocorridos quando ele e outros quatro homens da lei encaravam os terríveis acontecimentos iniciados na desconfiança e rescendidos na bala.

Enquanto isso, a jovem Mattie Ross assiste a tudo admirada, porém não menos interessada nas habilidades e, principalmente, na bravura indômita de Cogburn para o plano que tem em mente…

Positivo/Negativo

Os últimos anos testemunharam o retorno triunfal de um gênero outrora grandioso da sétima arte, o faroeste.

Em filmes agraciados pela crítica moderna como exemplos notáveis do bom e velho “bangue-bangue” à moda antiga – a exemplo de Os indomáveis, Appaloosa: uma cidade sem lei e À procura da vingança -, mais um integrou a poeirenta lista: o elogiadíssimo Bravura indômita.

Esse remake do clássico de 1969, na época estrelado por John Wayne, já chegou com status de produção de primeira linha. Jeff Bridges, Matt Damon e Josh Brolin integraram o elenco dirigido pelos badalados irmãos Coen.

Fazendo jus ao sucesso antecipado, mesmo não tendo levado nenhum Oscar, configurou-se num dos melhores filmes de 2010.

Para aumentar a publicidade na época de seu lançamento, uma HQ digital foi lançada no site oficial da película em diferentes opções de idiomas, inclusive em português, algo raro de acontecer.

Nesta curta história em quadrinhos, há uma transcrição de uma das primeiras cenas do filme, quando do depoimento do xerife Rooster J. Cogburn – aqui tendo seu primeiro nome, Reuben, pronunciado – sobre mais um dos tantos casos que travou em sua perigosa profissão.

As duas versões deste julgamento se complementam, acrescentando pormenores sobre o caso, aglutinando ação e narração na media certa, sem a morosidade que a sinopse poderia sugerir.

Enquanto no filme os detalhes técnicos e jurídicos da situação são mais bem explorados, a HQ resolve investir fundo no caso pregresso do xerife, mostrando o que de fato aconteceu para ele estar ali, depondo perante um júri.

Tanto que a narrativa em primeira pessoa, materializada na ótima arte de Christian Wildgoose (artista britânico conhecido por produzir numerosos sketches de vários personagens do cinema moderno), domina a maior parte da trama, tendo poucas intercalações com o texto corriqueiro dos quadrinhos, em balões de diálogos normais, quando a visão do leitor retorna para o interior da sala de audiência.

O final é justamente a cena que mostra o primeiro encontro entre a menina Mattie Ross e Cogburn, na saída do tribunal, quando esta lhe faz a oferta pela caçada do assassino de seu pai.

Semelhante empreitada publicitária fora feita no filme Bastardos inglórios, em 2009. Igualmente ao filme de Quentin Tarantino, Bravura indômita teve uma cena inteira adaptada para os quadrinhos – totalizando 24 páginas, no tamanho de uma edição padrão norte-americana -, porém com mais liberdade e certas diferenças para com a mídia original do que foi no caso dos caçadores de nazistas.

Aos fãs do colt, um prato cheio. Pra quem gostou do filme, fica a dica.

Classificação:

4,0

• Outros artigos escritos por

.

.

.