Busker

Por Gustavo Nogueira
Data: 24 dezembro, 2018

BuskerEditora: Independente – Edição especial

Autor: Ryan Smallman (roteiro e desenhos).

Preço: R$ 25,00

Número de páginas: 40

Data de lançamento: Dezembro de 2018

Sinopse

A história de Clay, um jovem que persegue o sonho de ser músico na impessoal São Paulo, uma cidade onde nem sempre um artista de rua (ou busker, em inglês) e sua sensibilidade têm vez.

Como em toda história de amor, o protagonista descobrirá que os sonhos – mesmo os mais verdadeiros – podem partir seu coração. Caberá a ele decidir se abrir mão deles é o caminho a ser trilhado, ou se o correto é lutar por aquilo que mais deseja.

Positivo/Negativo

Correr atrás de seus sonhos é sempre difícil. E quando se fala da área cultural é um desafio ainda maior. Busker apresenta a luta de um jovem que pode ser facilmente encontrado nas ruas de uma grande cidade. E até em alguns leitores.

Esta é a estreia de Ryan nos quadrinhos, e a revista mostra sensibilidade e uma clara entrega. Em certo ponto, é difícil distinguir se o que está retratado diz respeito a Clay ou ao autor. O que é fácil identificar é que Ryan sabe contar uma história bonita e tocante.

O roteiro acompanha as dificuldades e dilemas de Clay, sempre do ponto de vista do protagonista. Ryan usa um formato simples, mas funcional, para contar o drama: com o conflito transitando do interno para o externo.

A trama é bastante previsível, mas o mérito da HQ está no bom protagonista, que gera empatia com o leitor e emociona ao abordar a valorização do artista e de acreditar em seus sonhos.

Em preto e branco, a arte apresenta contornos fortes e marcados e demonstra personalidade. Os desenhos de Ryan já são conhecidos, pois ele é ilustrador do site Omelete, mas na HQ mostram-se mais soltos e criativos. Certamente seu talento tende a ser bem aproveitado em histórias em quadrinhos.

Uma bela sacada foi a criação de uma música tema para o quadrinho, cantada pelo protagonista durante a história, e que pode ser ouvida por meio de um QR Code na página final. Um conteúdo transmídia que faz crescer o momento dramático da trama e ainda é uma bela canção.

Mesmo com algumas (naturais) inconsistências, Busker é uma história linda e emocionante, que tem a força de fazer o leitor na história e se sentir por um momento como Clay. E ver que vale a pena batalhar pelos sonhos e pela arte.

Classificação:

3,5

• Outros artigos escritos por

.

.

.