Calvin & Haroldo – O Ataque dos Transtornados Monstros de Neve Mutantes Assassinos – Volume 1

Por Ronaldo Barata
Data: 21 dezembro, 2005

Calvin & Haroldo - O Ataque dos Transtornados Monstros de Neve Mutantes Assassinos - Volume 1Editora: Best Editora – Edição especial

Autores: Bill Watterson (texto e arte).

Preço: Variável, dependendo do sebo (fora de catálogo)

Número de páginas: 80

Data de lançamento: 1994

Sinopse

Uma coletânea de tirinhas de humor escritas e desenhadas por Bill Watterson que abrangem toda uma fase complicada da vida de seu personagem Calvin: as férias!

Positivo/Negativo

Calvin é um inteligente e hiperativo garoto criado pelo cartunista Bill Watterson. Sempre ao lado de Haroldo – um tigre de pelúcia que ganha vida graças a mais do que fértil imaginação do menino -, ele consegue transformar as mais esdrúxulas situações cotidianas em experiências hilárias.

Por ser uma coletânea, percorre diversos aspectos da vida de Calvin. Inicialmente, é mostrado o primeiro dia das férias do garoto, que começa muito mal: ele contrai catapora. O que acontece nas páginas seguintes é uma seqüência de tiras sobre o tema, com destaque para o momento em que ele convida Susie, uma “menina nojenta” para brincar em sua casa com a única intenção de passar-lhe a doença.

Terminada a catapora, seguem as férias. Calvin brinca com Haroldo de jogos imaginários com regras estapafúrdias, discute à mesa com os pais e, em uma de suas melhores fases, tenta escapar de uma bicicleta que quer matá-lo.

Em meio a tudo isso, há a fabulosa seqüência (que dá título ao livro) na qual ele começa a fazer bonecos de neve, que, após um “ritual”, ganham vida e começam a caçá-lo onde quer que vá.

É interessante notar como Bill Watterson brinca com o sentido de realidade em suas tiras. Em vários momentos, fica difícil saber o que é imaginação, como na seqüência em que Calvin foge dos seus bonecos de neve de duas cabeças que parecem mesmo o seguir até a porta de casa!

O humor de Watterson tem um escracho inteligente e refinado. Ele lida com inúmeras questões da infância de uma maneira que poucos cartunistas conseguem e ainda insere neste ambiente temas nada infantis e muito filosóficos, como a própria existência humana.

Claro que as relações entre pais e filhos são exploradas à exaustão. Afinal, Calvin parece conseguir dilacerar cada lição de moral que seu pai lhe tenta aplicar.

O traço e a narrativa são excepcionais. Dá quase pra sentir o movimento entre as seqüências, que são ilustradas com perfeição em meros três ou quatro quadros (às vezes até menos). Em algumas partes do livro, que é em preto-e-branco com algumas histórias coloridas, há também tiras de página inteira.

Engana-se quem pensa que o livro é destinado ao público infantil. Este é um material que merece destaque e tem garantido seu lugar entre as grandes obras dos quadrinhos. Quem leu sabe disso!

Classificação

5,0

• Outros artigos escritos por

.

.

.