CAROL

Por Sidney Gusman
Data: 1 dezembro, 2010

CAROL

Editora: Noovha América – Edição especial

Autor: Laerte (roteiro e arte).

Preço: R$ 29,00

Número de páginas: 32

Data de lançamento: Agosto de 2010

 

Sinopse

Coletânea de histórias da personagem Carol, que Laerte criou na década de 1990, para a extinta revista ZÁ!, que era voltada para o povo infanto-juvenil.

Positivo/Negativo

É mais do que “chover no molhado” dizer o quanto Laerte é versátil e capaz de se adaptar aos mais variados públicos sem perder as características básicas de suas histórias. Foi assim com Deus, Suriá, a garota do circo, Classificados e agora com este álbum.

Carol é uma personagem pouco conhecida do criador dos Piratas do Tietê, mas nem por isso é menos encantadora. Por volta dos seus 7 ou 8 anos, ela vive aventuras repletas da mais gostosa fantasia infantil.

No melhor estilo Calvin & Haroldo, Carol vira feiticeira, encontra dragões, se esconde num ovo de dinossauro, tira um jacaré na banheira de casa, pega carona com o amigo Gabriel numa bicicleta voadora e até “monta” um cachorro Frankenstein.

Esse exagero misturado às estripulias infantis, como tentar fugir do consultório do dentista com uma “corda” feita com os lenços descartáveis ou acabar com o papel higiênico do banheiro por desenhar nele, deixam as histórias de uma página da personagem ainda mais divertidas.

E o legal é que Carol e seus coadjuvantes fogem do politicamente correto (eles são personagens do Laerte, oras!), mas o autor dá o seu jeito de atenuar as coisas. Quando rola o cão Frankenstein, Carol aparece com uma placa com os dizeres “Não tentem fazer isso em casa..”. Quando a arteira menina encontra com suas versões adultas, no alto da página está escrito “hoje sou eu sonhando”.

É verdade que nenhuma das 26 histórias do álbum fará o leitor dar gargalhadas, mas praticamente todas garantem que o sorriso permaneça nos lábios.

Pena que o álbum, muito bem impresso, acabe tão rápido. Em dez minutos, no máximo, a leitura termina. Por isso, apesar do competente trabalho de edição da Noovha América, talvez o preço afugente alguns leitores.

Ainda assim, por ser extremamente agradável não só para o público a que se destina, os pequenos, e pelo fato de os quadrinhos viverem um grande momento junto aos planos governamentais de apoio à leitura, é quase brincadeira de criança apontar o álbum Carol, desde já, como forte candidato a figurar, em 2011, em listas como a do PNBE – Programa Nacional Biblioteca da Escola.

Classificação:

4,0

• Outros artigos escritos por

.

.

.