CHAPA QUENTE

Por Mário César
Data: 1 dezembro, 2006


Título: CHAPA QUENTE (Atrito Art Editorial) – Edição
especial
Autores: André Kitagawa (roteiros e desenhos).

Preço: R$ 20,00

Número de páginas: 60

Data de lançamento: Maio de 2006

Sinopse: Coletânea com setes histórias de André Kitagawa.

Positivo/Negativo: No universo de Kitagawa há uma dose de realidade maior do que se está acostumado a ver. Não há necessariamente o bem ou o mal, há apenas pessoas; e elas são capazes de fazer qualquer coisa seja por um trocado, um acesso de raiva, covardia ou pura ironia do destino. Cada um segue sua própria vida, tentando seguir em frente na medida do possível, ou buscando meios de escapar de uma realidade urbana asfixiante. Tudo recheado com muito humor negro, violência e sarcasmo.

A curta Balada Sangrenta (publicada no site Cybercomix) revela uma terrível verdade sobre o inferno.

Em Mariza? (publicada em Front # 9, da Via Lettera), uma tragédia do acaso acaba com as dúvidas de um homem dividido entre duas mulheres. Ocorre aqui uma mancada feia na diagramação: a página 12 saiu no lugar da 14.

Uma noite de agito de três amigos se torna uma experiência de muitas, muitas mortes em
Paranga insana.

Em Super T (publicada em Front # 11), um ninguém qualquer tem uma brilhante idéia: se vestir como super-herói para combater o crime!

O pacote (publicada no Cybercomix) mostra como a motivação pra se mudar de vida pode vir nos momentos mais esdrúxulos.

Vagabundo (publicada na Grafitti # 2) é um belo tapa na cara na nossa preguiça, mas é melhor deixar o comentário para outra hora. Só de pensar dá uma preguiça danada…

Faísca existência (publicada em Front # 10) fecha o álbum misturando ficção e realidade. O autor mostra como a simples existência de uma pessoa pode fazer uma grande diferença no mundo, a mais madura de todas as histórias.

É possível notar uma evolução na arte dos trabalhos mais antigos para os mais recentes, mas em nenhum momento Kitagawa deixa de narrar com originalidade e competência.

De negativo, só a já citada página trocada e a ausência de uma divisão mais clara entre as histórias na paginação.

Uma coletânea de ótimas histórias contemporâneas e que, inclusive, ganhou uma surpreendente adaptação para o teatro no qual atores interagem de forma curiosa com desenhos projetados em um telão.

Esta montagem foi realizada pelo Grupo de Teatro Cemitério de Automóveis, com direção de Mário Bortolotto e do próprio Kitagawa e fica em cartaz até o dia 2 de julho, no Viga Espaço Cênico (Rua Capote Valente 1323), sextas e sábados às 21h30min; e domingos às 20h30min. Dignos de serem conferidos, tanto os quadrinhos quanto a peça.

Todas as sete histórias e outras do mesmo autor podem ser conferidas em seu site.

O álbum pode ser comprado em outros dois lugares, em São Paulo: na Mercearia São Pedro (Rua Rodésia, 34 – Vila Madalena) e no Sebo do Bactéria (Praça Roosevelt) ou ser solicitado por e-mail .

 

Classificação:

4,0

• Outros artigos escritos por

.

.

.