Coup D’etat – The Assassination of John F. Kennedy

Por Sérgio Codespoti
Data: 21 dezembro, 2007
MATERIAL IMPORTADO

 

Coup D'etat - The Assassination of John F. KennedyEditora: Eclipse Comics – Caixa de Trading Cards

Autores: Paul Brancato (texto) e Bill Sienkiewicz (arte).

Preço: US$ 8,95

Número de páginas: 36 Cards

Data de lançamento: 1990

Sinopse

Coup D’Etat, cuja tradução é Golpe de Estado, é um conjunto de trading cards (pomposo nome dado às figurinhas colecionáveis nos Estados Unidos) sobre o assassinato do presidente John Fitzgerald Kennedy.

As cartas abrangem figuras famosas como Lee Harvey Oswald, Jack Ruby, Marilyn Monroe, Guy Banister, Davie Ferrie, James Hoffa, Edgar J. Hoover, entre outros.

Algumas cartas narram eventos e outros aspectos do assassinato, como o filme Zapruder, que mostra o momento exato da morte de Kennedy; a crise cubana; as ligações da CIA com a Máfia; o número absurdo de testemunhas mortas; a morte de Robert Kennedy; e outros fatos relevantes.

Lendo as cartas seguindo a numeração, o leitor ganha uma perspectiva geral dos eventos, passando pelos fatores anteriores ao assassinato e as conseqüências do mesmo.

Positivo/Negativo

Houve um período, entre meados da década de 1980 e o começo dos anos 1990, em que as editoras americanas adotaram com fervor os trading cards.

Qualquer editora que se prezasse tinha seus cards. Na frente uma ilustração bonita, muitas vezes pintada, de um personagem (ou evento) e no verso um texto com sua biografia.

Essas coleções podiam ser usadas em jogos de RPG ou similares e algumas funcionavam apenas como lembrete dos eventos recentes das aventuras dos super-heróis de uma determinada editora.

Dentro desse contexto, Coup D’Etat se destacava por três elementos:

1) As cartas contam a história de um importante momento histórico dos Estados Unidos;

2) Cada carta foi ilustrada por Bill Sienkiewicz, que na época do lançamento desta coleção estava no auge de sua carreira;

3) O conjunto era vendido completo, numa caixa, sem cartas repetidas; o que não era tão comum na época.

Coup D'etat - The Assassination of John F. Kennedy Coup D'etat - The Assassination of John F. Kennedy

Paul Brancato, o responsável pelos textos é violinista, e também escreveu outros dois conjuntos de cartas: The Iran-Contras Scandal (sobre o escândalo do tráfico de drogas e armas na Nicarágua envolvendo a CIA) e From Dallas to Watergate, que dá seqüência aos eventos de Coup D’Etat, ambos publicados pela Eclipse.

Sienkiewicz, que não precisa de muitas apresentação no que se refere ao seu trabalho nos quadrinhos, também já havia feito outro conjunto de cartas: Friendly Dictators, da Eclipse, sobre ditadores famosos.

O assassinato do presidente Kennedy já foi revisitado à exaustão e este belo conjunto de cartas serve como introdução perfeita, para quem conhece pouco sobre o assunto, aos participantes do evento, os suspeitos e as conseqüências do crime.

Coup D’Etat é um produto diferente e seus problemas só são mais visíveis aos leitores com algum conhecimento sobre o assassinato e as teorias que o cercam.

Um deles está em sua brevidade. Com apenas 36 cartas, e um espaço limitado em seu verso para o texto, é difícil abranger todo o assunto, mostrando vertentes diferentes sobre o crime e seus diversos participantes.

Brancato explora as teorias mais famosas sobre o assassinato, mas brevemente, e se inclina para um conluio entre os militares – grupo que o autor reserva atenção especial, a CIA e a Máfia, mas não explora possibilidades mais diversas.

Mesmo assim, o resultado é bastante agradável, e quase perfeito como introdução ao assunto. Brancato pesquisou diversos livros para escrever os textos, entre eles: Mafia Kingfish, de John Davis; Conspiracy, de Anthony Summers; Crossfire, de Jim Marrs; Best Evidence, de David Lifton; Coincidence and Conspiracy, de Bud Fensterwald; e They’ve Killed the President, de Robert Sam Ansom.

Aliás, quem se interessar pelo assunto, numa abordagem mais fictícia, pode procurar dois romances do famoso escritor de policiais e crime noir, James Ellroy: American Tabloid e The Cold Six Thousand.

Nesses livros, as duas primeiras partes de uma trilogia cujo final está para ser publicado, Ellroy mistura ficção e realidade sob o ponto de vista dos conspiradores e assassinos, mostrando todo o submundo norte-americano nos anos 50 e 60, e as relações curiosas entre a Máfia, FBI, CIA, Cuba e Fidel Castro, a baía dos Porcos, a família Kennedy, Howard Hughes, o movimento dos direitos civis, o Vietnã, Martin Luther King, a Klu Klux Klan e outros personagens e eventos de um período de quase três décadas.

Classificação

4,0

• Outros artigos escritos por

.

.

.