DEMOLIDOR # 18

Por Fernando Viti
Data: 1 dezembro, 2006


Título: DEMOLIDOR # 18 (Panini
Comics
) – Revista mensal
Autores: Justiceiro – Garth Ennis (roteiro) e Lewis Larosa (desenhos);

Elektra – Akira Yoshida (roteiro) e Chris Gosset (desenhos);

Demolidor – Brian Michael Bendis (roteiro) e Alex Maleev (desenhos).

Preço: R$ 5,90

Número de páginas: 72

Data de lançamento: Julho de 2005.

Sinopse:Demolidor – A máfia japonesa achou que, só porque a América do Norte é a terra das oportunidades, poderia aportar em Nova York, justamente o lar dos principais heróis Marvel, vender a sua superdroga-destruidora e sentar em cima dos lucros.

Ledo engano, pois Matt Murdock, vulgo Demolidor (ou seria o contrário?), além de uma concepção de justiça inabalável, quando necessário, pode contar com a mãozinha de gente como Cage, Punho de Ferro e um certo escalador de paredes para uma sessão de pancadaria com estilo.

No mais, o velho e incansável Matt tem que lidar o maior enigma de um homem (real ou fictício): o amor de uma mulher. Milla Donovan está de partida e, claro, ela não sai em silêncio.

Elektra – O trágico, proibido, inesperado e doloroso amor de Yoshioka por Eliza chegou ao ponto máximo de tensão: o nascente Tentáculo volta-se contra os amantes.

Yoshioka já fez sua escolha, ele e Eliza partem para o confronto final. Final?

Justiceiro – Um gângster bem vestido mete o cano de uma pistola na testa de Castle (na melhor tradição John Woo) e diz: “Vou te mandar pro inferno, desgraçado”.

O que vem a seguir é, digamos, animal: mandíbulas poderosas, um morena com uma submetralhadora nas mãos, uma página apenas para retratar o choque de uma testa e um nariz, chute no saco etc.

E como para Castle desgraça pouca é bobagem, o lance é arranjar treta com a máfia, a CIA e, claro, o ex-melhor amigo.

Positivo/Negativo: Sobre Elektra, basta dizer que essa chatice toda que foi este arco piegas, “romantiquinho” e babaca sobre as origens do Tentáculo terminou e, felizmente, é passado. E pensar que parecia que nada podia ser pior que os roteiros de Greg Rucka…

Para sorte dos leitores, esta revista mensal prossegue com a excelente fase do Demolidor. A dupla Bendis e Maleev continua afinadíssima no seu propósito de criar mais um importante capítulo da história do personagem.

Pode escrever: daqui a uns dez anos (ou menos), sairá um edição especial com esta fase do Demolidor.

O Justiceiro, nas mãos de Ennis e Larosa, é, definitivamente, a opção do leitor ciente da decadência que se abate sobre a estética super-heroi-bonzinho-que-vive-o-sonho-americano. O que, é preciso dizer, é muito bom e necessário.

Os grandes espaços de criação estão localizados nesses meios de transformação. O chefão Joe Quesada sabe bem disso. É melhor que os pais não “gostem” mesmo dos gibis que a moçada anda lendo.

 

Classificação:

4,0

• Outros artigos escritos por

.

.

.