Dragon Ball # 5 e # 6 – Conrad

Por Marcelo Naranjo
Data: 3 março, 2001

Dragon Ball # 5Editora: Conrad Editora – Quinzenal

Autores: Akira Toriyama (Roteiro e desenhos)

Preço: R$ 3,90

Data de lançamento: Janeiro e fevereiro de 2001

Sinopse

Goku parte para a ilha do Mestre Kame, em busca de treinamento. Encontra o velhinho ocupado, assistindo a um programa de aeróbica na televisão. O Mestre aceita treinar nosso herói, desde que, em troca, este traga uma garota bonita (sim, o velho é tarado, mesmo). Goku tenta, mas só arruma confusão.

Aparece, então, Kulilin, outro candidato ao treinamento. Ambos conseguem realizar o desejo do mestre, trazendo uma garota para viver com eles: a bela Lanchi. Ela é uma morena, bonita e meiga. Só tem um problema: quando ela espirra, sua personalidade muda, e vira uma loira violenta e cruel!

O treinamento dos bravos jovens começa, composto, por uma extenuante série de exercícios físicos, como entregar leite correndo, através de ambientes inóspitos e até mesmo fugindo de dinossauros; cruzar um lago habitado por um tubarão (não me pergunte como o maior predador dos mares foi parar num lago); arar a terra com as próprias mãos; fugir de abelhas etc. Esse é o cotidiano deles, por oito meses. Passado esse tempo, o Mestre inscreve os jovens num torneio de artes marciais, para testá-los. E tem uma surpresa, pois, Goku e Kulilin passam por diversas fases! Será que vão ser os campeões?

Positivo/Negativo

O destaque desses números fica por conta do bom humor. Seja treinando ou lutando, as situações engraçadas estão sempre presentes. Outro ponto divertido são os oponentes no torneio de luta marcial, todos caricatos, baseados em Bruce Lee, Jackie Chan e outros. No final das edições, temos textos interessantes, detalhando os personagens e contanto curiosidades da história, como os aspectos presentes da cultura oriental.

O negativo fica por conta da troca de páginas que ocorreu na edição # 5 (as páginas 34 a 36 eram as do número 6). No melhor da história somos surpreendidos por uma brusca mudança, sem pé nem cabeça, nos acontecimentos. Em Dragon Ball # 6, uma nota explica a troca de páginas, e as páginas que faltaram foram publicadas no fim da edição.

Fica o elogio para a editora, por ter assumido e corrigido o erro, mas que tomem mais cuidado! Afinal, esse tipo de coisa pode estragar o prazer da leitura.

Classificação

3,5

Dragon Ball # 6

• Outros artigos escritos por

.

.

.