DYLAN DOG # 40

Por Fernando Viti
Data: 1 dezembro, 2007


Título: DYLAN DOG # 40 (Mythos
Editora
) – Revista mensal

Autores: Claudio Chiaverotti (roteiro) e Corrado Roi (desenhos).

Preço: R$ 7,50

Número de páginas: 96

Data de lançamento: Fevereiro de 2006

Sinopse: O jovem aristocrata Peter Hamilton pilota uma lancha, para um passeio de final de tarde londrino, junto a um grupo de amigos. A bruma toma as águas do Tamisa, e os jovens ouvem, em meio à escuridão, alguém cantar uma velha canção que fala das velhas pontes de Londres.

O que se segue é um pesadelo que envolve o assassinato dos convidados de Peter.

Então, um pai desesperado por provar a inocência de seu filho contrata Dylan Dog (nunca seus dias são marcados pela rotina) para uma investigação que envolverá uma lenda urbana esquecida, uma história de sangue e rancor do século 19.

Positivo/Negativo: Uma produção com o envolvente texto de Chiaverotti e os ótimos desenhos de Roi, talvez, o melhor desenhista de Dylan Dog. São aventuras como esta que ajudam a entender o sucesso de público e crítica do personagem na Itália.

Entre tantos fã italianos, encontra-se o escritor e pensador Umberto Eco que, segundo a Wikipedia, afirmou: “Eu posso ler a Bíblia, Homero ou Dylan Dog por vários dias e não me entediar”.

Poucas HQs foram ou são tão pop e “eruditas” ao mesmo tempo como Dylan Dog. O que explica o sucesso na terra de Dante e o fracasso na terra de Paulo Coelho. É, com certeza, um discurso recorrente e, infelizmente, real, mas o hábito da leitura no Brasil não é propriamente popular ou valorizado.

Em uma HQ como Dylan Dog, a quantidade de referências, sutilezas e ironias envolvendo a literatura e cultura pop do século XX constitui mais da metade da graça de se ler esta produção Bonelli.

Passado um ano do fim desta publicação no Brasil, fica a certeza de que a Mythos merece todos os elogios pela corajosa empreitada de ir contra a maré e publicar estes 40 números que, como os da antiga coleção da Record e da curta série da Conrad, ganharão o status de cult em sebos e sites de vendas.

No mais, para o fã brasileiro de Dylan Dog só restam duas atitudes: 1) Aprender italiano; 2) Economizar para comprar as edições originais, cotadas em euros!

Classificação:

4,0

• Outros artigos escritos por

.

.

.

  • Ygo Rummenigge

    caramba mas tá difícil encontrar essa hq pra comprar.