Ensaio do Vazio

Por Milena Azevedo
Data: 22 março, 2013

Ensaio do VazioEditora: 7 Letras e Editora da Casa – Edição especial

Autor: Carlos Henrique Schroeder (texto) e Diego Gerlach, Pedro Franz, Berliac, Manuel Depetris e Leya Mira Brander (arte) – Adaptação do romance homônimo de Carlos Henrique Schroeder

Preço: R$ 50,00

Número de páginas: 140

Data de lançamento: Agosto de 2012

Sinopse

Ensaio do vazio conta a história de Ricardo, um bem-sucedido artista plástico, cujas reflexões/alucinações o fazem tramitar entre presente e passado.

Positivo/Negativo

Sucesso, grana, drogas e sexo sem compromisso por si só não garantem uma vida satisfatoriamente plena.

No caso de Ricardo, protagonista de Ensaio do Vazio, esses quatro pequenos prazeres dificultaram o seu já turvo processo de amadurecimento e de realização profissional.

Ricardo é um artista plástico cujo prazer é extrair o maior valor de mercado de suas instalações, que para ele são uma gozada na cara da arte contemporânea, tão desprovidas de sentido quanto a sociedade que as consome.

No entanto, ele não se tocou de que é fruto da pós-modernidade que sarcasticamente deprecia. Tenta camuflar a plasticidade da sua vida com roupas de grife, perfumes caros e carros importados.

Tal qual Gulliver em Lilliput, Ricardo parte para a periferia na ilusão de que uma prostituta suburbana lhe faça parecer ainda mais colossal, alimentando um ego que, já faz tempo, nem mesmo sabe onde está.

É seu ex-amigo e rival Fernando, conhecido na periferia pela alcunha de “Poeta”, o responsável por fazer Ricardo enxergar seu presente ao lhe remeter ao passado, quando, ainda na faculdade, envolveu-se com a obscura Sociedade da Devassidão Inata, um grupo que pregava a tríade: atitude, desprendimento moral e hedonismo.

Obcecado em entrar para o tal grupo, Ricardo se mostrou capaz de atos mesquinhos e foi levado a fazer parte do elenco de uma peça revolucionária, escrita e dirigida por um punk recluso, famoso por comprar briga com a polícia a cada trabalho encenado.

Para expurgar os erros e segredos daquele passado, Ricardo precisa encarar a realidade de cara limpa, desprezando sucesso, grana, drogas e sexo sem compromisso. Mas a redenção vem ironicamente na forma de outro delírio: preencher sua vida com a idealização de um pretérito perfeito junto ao seu primeiro grande amor.

Ensaio do vazio é o oitavo romance do escritor Carlos Henrique Schroeder, adaptado para os quadrinhos seis anos após ter sido publicado, ganhando um aspecto bem sujo, desleixado, visceral; uma metáfora da desregrada realidade inventada de Ricardo.

O texto de Schroeder é tão direto quanto um soco na boca do estômago, contrastando com o intimismo minimalista da trama. Como a proposta do autor é inquietação, desordem, fuga, os capítulos são estruturados de forma não-homogênea, sob o olhar de um artista diferente, alternando monocromia e cor, lápis e aquarela, quadrinhos e texto ilustrado com desenhos e colagens, feitos por Diego Gerlach, Pedro Franz, Berliac, Manuel Depetris e Leya Mira Brander.

Em quadrinhos, Ensaio do vazio é puro exercício de metalinguagem, uma vez que a obra em si é uma instalação; lúcida, experimental e underground na medida certa.

Classificação

4,0

• Outros artigos escritos por

.