ETHORA # 1

Por Ricardo S. Tayra
Data: 1 dezembro, 2004


Autores: Beth Kodama (roteiro), Karina Erica Horita (arte) e Elton
Azuma (layout e retículas)

Preço: R$ 2,99

Número de páginas: 32

Data de lançamento: Julho de 2004

Sinopse: Seja bem-vindo a Ethora, um continente que serve como
pano de fundo para histórias de humanos, caçadoras seminuas, elfos, meio-elfos
e outros seres fantásticos. Esta será uma viagem por um desses milhares
de acontecimentos nessa terra, repleta de lutas com espadas, magia, mistérios
e lendas locais.

Uma aventureira vai à caça do famoso Raposa, criminoso procurado vivo
ou morto que perambula pelo continente. Mas será que o rosto estampado
nos cartazes de recompensa é mesmo de um malfeitor tão perigoso? E o que
há de tão importante no confronto entre caçadora e caça, a ponto de despertar
a intromissão de um terceiro aventureiro misterioso nessa história?

Positivo/Negativo: Como aconteceu com o sucesso Holy Avenger,
trata-se de mais uma HQ baseada em cenário de RPG editada pelo polivalente
Marcelo Cassaro.

Duas histórias com alguns dos personagens abordados nesta edição especial
já haviam sido publicadas na revista Tsunami (Talismã),
também com roteiro de Beth Kodama e arte de Erica Horita. Mas a aventura
é fechada e não há necessidade de nenhum conhecimento anterior sobre Ethora
para compreendê-la.

Este “mangá brasileiro” de primeira qualidade chama a atenção principalmente
pela belíssima arte de Erica, com páginas em grafite finalizadas ou não
com nanquim e retículas de Elton Azuma.

Os personagens são muito bem caracterizados e o preto-e-branco é trabalhado
de forma competente. Parece até que os quadrinhos nacionais têm predileção
especial por Ericas, lembrando que Erica Awano desenhou os 42 números
de Holy Avenger

Somente a capa (única arte colorida) acaba sendo um tanto confusa em termos
de informação visual, mas passa longe de comprometer o trabalho.

Só que a bela apresentação não seria nada sem uma boa história. E o roteiro
de Beth vai muito bem. A aventura é baseada num objetivo simples, mas
é conduzida de forma competente, possibilitando que o leitor conheça um
pouco sobre o mundo onde se passa e sobre os personagens, sem “forçar”
nenhuma informação (nada como a prática, uma vez que o roteiro da HQ publicada
na Tsunami # 5 era inferior, muito carregado de dados desnecessários).

A história é tão competente que arrisco a dizer: muitos leitores que não
curtem mangá podem vir a gostar deste especificamente. É aventura das
boas, com arte detalhada e toques muito realistas em alguns momentos,
com bom layout na melhor forma que o mangá oferece. Haverá quem
diga que o desenho é muito centrado nos personagens. Mas lembro que é
uma questão de estilo: a narrativa é boa o suficiente para não exigir
cenários a todo momento e, quando aparecem, são bem desenhados também.

Mesmo com mais um cenários de magos, elfos etc (algo que parece tão definitivo
em O Senhor dos Anéis), Ethora desperta a curiosidade do leitor
para compreender as muitas histórias que parecem estar esperando a oportunidade
de serem contadas pelos autores. E unir mídias diferentes como RPG e HQ
já provou ser uma estratégia editorial que funciona, caso de Holy Avenger.

A revista ainda inclui um texto de making of e uma seção de cartas
(que existe graças ao fato de Ethora já ter site
oficial
e fãs das HQs publicadas anteriormente). Mais informações
e esboços serão disponibilizadas aos poucos na página.

Agora, sobre o preço: as editoras ainda acham que os jornaleiros dão R$
0,01 de troco para quem compra uma HQ? Para que esse preço “marketeiro”?

A história tem começo, meio e fim, mas deixa várias pontas soltas a serem
resolvidas. Os autores são espertos, e querem mais é que os leitores fiquem
sedentos por novidades. A intenção é que a HQ seja chamariz para uma minissérie
produzida pela mesma equipe, sem previsão de lançamento. Fica a torcida
para que consigam lançá-la.

Como primeira revista profissional totalmente produzida pelos autores,
estão de parabéns. Esse trio vai longe, e o negócio é acompanhá-lo de
perto.

Classificação:

4,0

• Outros artigos escritos por

.

.

.