ETHORA: A DONZELA DE FERRO # 1

Por Ricardo S. Tayra
Data: 1 dezembro, 2005


Título: ETHORA: A DONZELA DE FERRO # 1 (Editora Kanetsu)
– minissérie em cinco edições

Autores: Beth Kodama (roteiro), Karina Erica Horita (arte) e Elton
Azuma (retículas).

Preço: R$ 3,90

Número de páginas: 32 (em preto-e-branco)

Data de lançamento: Maio de 2005

Sinopse: O rei de Linkin Valley está às portas da morte. Ele é
amparado apenas por sua filha, enquanto aparecem especulações sobre seu
sucessor. Há muita preocupação, afinal trata-se do mais poderoso reino
de Ethora – lugar fantástico onde a magia está presente e aventuras envolvem
humanos, elfos, meio-elfos e outros seres.

Enquanto isso, o ladrão conhecido como Raposa vaga pelo continente, acompanhado
por sua amiga Satine. O ladino se mantém longe de Linkin Valley há algum
tempo, por conta de furtos realizados em benefício dos pobres. Mas o destino
sempre se encarrega de fazê-lo retornar. Neste caso, graças a um encontro
inesperado com o ardiloso mago Geezer…

Positivo/Negativo: Depois de passar pelo mundo dos fanzines, pela
participação na revista Tsunami e pelo ETHORA: A DONZELA DE FERRO # 1especial
Ethora
(ambos da Talismã), o universo fantástico criado por Beth Kodama
e Erica Horita ganha uma minissérie mensal publicada por uma editora própria,
a recém-fundada Kanetsu.

Os belos desenhos de Erica (em estilo mangá, com técnicas variadas de
finalização) foram visivelmente prejudicados no processo de impressão
(talvez por conta do papel jornal): a arte ficou mais escura do que deveria
e, às vezes, parece “borrada” demais. Ponto para ser consertado nos próximos
números, especialmente porque a arte é o maior destaque da HQ.

A ambientação de Ethora é derivada de jogos de RPG e cheia de detalhes.
É um desafio inserir elementos sem deixar o enredo cansativo e/ou incompreensível.
Nas histórias fechadas publicadas anteriormente, a roteirista Beth Kodama
se saiu bem, talvez por optar pela simplicidade.

ETHORA: A DONZELA DE FERRO # 1
na primeira edição da minissérie, o resultado não ficou tão bom. Muitos
acontecimentos simultâneos, vários personagens apresentados (que parecem
ter importância, mas nenhum deles consegue ser bem desenvolvido por falta
de espaço).

É possível captar nas entrelinhas que há uma trama convincente se desenrolando
e bons mistérios a serem solucionados. Contudo, a história poderia fluir
melhor se os detalhes fossem mais bem distribuídos ao longo das edições.
Tanto é que, ao contrário de trabalhos anteriores de Beth, esta é uma
revista que parece necessitar de uma bagagem anterior de conhecimento
sobre Ethora e seus personagens para ser bem compreendida, o que pode
afastar alguns leitores mais “preguiçosos”.

Trechos do diário do rei, que aparecem após o final da HQ, são bônus interessantes
e mostram que há muito ainda a ser contado. Porém, as páginas também estão
escuras e alguns trechos apresentam letras muito pequenas, o que dificulta
a leitura.

Também é curioso perceber que a revista traz uma seção de correspondência
mesmo sendo número 1, mas é visivelmente fruto de um bom trabalho de divulgação
do universo de Ethora na internet (confira o site
oficial
).

De todo modo, é bom saber que a equipe continua produzindo regularmente
e com qualidade. Os problemas existentes têm tudo para serem resolvidos
com certa tranqüilidade, se considerados os trabalhos anteriores de Beth,
Erica e Elton Azuma (editor e responsável pelas retículas). Vale aguardar
o próximo número.

Classificação:

4,0

• Outros artigos escritos por

.

.

.