Ghost World

Por Mário César
Data: 21 maio, 2007

Ghost WorldEditora: Fantagraphics Books – Edição especial

Autor: Daniel Clowes (roteiro e desenhos).

Preço: U$ 11,95

Número de Páginas: 80

Data de lançamento: Dezembro de 1997

Sinopse

Enid e Rebecca são duas cínicas e inteligentes adolescentes que vivem em uma pequena cidade norte-americana no começo dos anos 90. Elas são melhores amigas desde pequenas e acabaram de se formar no colegial.

Enquanto tentam decidir o que vão fazer de suas vidas, passam o dia criticando tudo e todos que encontram pela frente.

Positivo/Negativo

Originalmente publicada nos números # 11 a # 18 (Junho de 1993 a março de 1997) da revista Eightball e, posteriormente, em formato de livro pela Fantagraphics Books, esta graphic novel é um dos mais ricos retratos sobre adolescência já realizados nos quadrinhos.

Ghost World foca a fase final da adolescência, aquele momento no qual se define o que fazer da vida e o tipo de pessoa que se será dali em diante. Clowes enriquece a questão inserindo-a numa realidade específica: o mundo contemporâneo dominado pela cultura de massa.

Afinal, como afirmar sua individualidade em um mundo onde todos seguem os mesmos modismos, consomem coisas idênticas e há um padrão de beleza pré-determinado? Existe alguma filosofia de vida que ainda não foi transformada em produto de vitrine? E por que há uma apatia quase mórbida em relação a isso tudo?

Cada protagonista procura uma saída diferente desta realidade. Enid vive mudando o visual e pretende abandonar o passado para se tornar uma pessoa completamente diferente. Já Rebecca odeia mudanças, tudo que deseja é ter uma vida simples como nos tempos do colegial, mas sem as cobranças de ser adulta.

Com base nessa diferença, a trama se desenvolve e as protagonistas ganham uma profundidade rara. Enid e Rebecca pulsam como se realmente existissem em alguma cidade perdida pelos Estados Unidos e desferem críticas ferinas ao universo em que vivem. Do ex-padre católico pedófilo ao pseudo-rebelde neonazista, ninguém é perdoado. A cada capítulo uma nova hipocrisia ou anomalia expõe a esquizofrenia da sociedade atual.

Além da riqueza do texto, Clowes acerta em cheio nos desenhos, usando apenas um pálido tom de azul no lugar das cores para representar o mundo fantasmagórico a que se refere o título.

Uma curiosidade: nas reimpressões da obra, o tom de azul deu lugar a um verde igualmente pálido que mantém o espírito da coloração original. Além disso, muitos quadros foram redesenhados para a edição em formato livro e o design dos personagens também foi alterado, por conta da evolução do trabalho do autor.

Ghost World já ganhou uma bela adaptação para o cinema pelas mãos do diretor Terry Zwigoff (Crumb) e conta com as atrizes Thora Birch (Beleza Americana) e Scarlet Johansson (Match PointMoça do brinco de pérola) nos papéis principais.

O roteiro da película, adaptado pelo próprio Clowes em parceria com o diretor, chegou a ser indicado ao Oscar e tem grandes diferenças em relação à graphic novel. A principal delas é que no filme a história se desenvolve ao longo do verão, logo após a formatura de Enid e Rebecca, enquanto nos quadrinhos não há uma linha cronológica definida, pois a trama foi publicada em capítulos ao longo de cinco anos.

Outra diferença crucial é o relacionamento amoroso de Enid com o personagem interpretado por Steve Buscemi, inexistente na obra original.

Apesar do sucesso de crítica e de público (lá fora já se encontra na 14ª reimpressão) e de já ter sido bem adaptada para o cinema, Ghost World permanece inédita no Brasil.

Classificação

5,0

• Outros artigos escritos por

.