Goliath

Por Vitor Mazon
Data: 28 setembro, 2018

GoliathEditora: Drawn & Quaterly – Edição especial

Autor: Tom Gauld (roteiro e arte).

Preço: US$ 19.95

Número de páginas: 96

Data de lançamento: Março de 2012

Sinopse

Golias não é um lutador. Ele escolheria o trabalho administrativo sobre patrulhamento em um piscar de olhos, para não falar de seu desgosto pelo combate.

No entanto, a mando do rei, ele se vê desafiando os israelitas duas vezes ao dia: “Escolham um homem. Que venha a mim para que possamos lutar”.

Positivo/Negativo

Tom Gauld é um dos cartunistas mais elogiados em atividade, suas charges, tiras e ilustrações fazem parte do line-up dos jornais The Guardian, The New York Times e das revistas New Scientist e The New Yorker. Ele inclusive ganhou seu primeiro Eisner em 2018, pela coletânea Baking with Kafka, como Melhor Publicação de Humor.

O que destaca seu trabalho na imprensa é sua arte minimalista, junto a ideias que brincam com a relação entre literatura e Cultura Pop, sempre com uma dose de existencialismo, humor e melancolia.

A maior parte desses elementos está presente em sua primeira graphic novel, Goliath. Partindo de uma premissa simples, uma reinterpretação do mito bíblico de Davi e Golias na perspectiva do gigante filisteu, o autor escocês enche uma trama familiar de novas possibilidades, dando ênfase à melancolia e um humor sutil.

Gauld mostra um gigante avesso ao da história tradicional, revelando um homem quieto, doce e que prefere ficar cuidando das questões administrativas do que realmente se envolver na guerra. Mas seu tamanho descomunal faz dele a pessoa perfeita para um plano de pôr um fim à batalha.

A partir dessa imposição, Golias e seu novo escudeiro passam os dias aguardando a chegada de um possível desafiante do exército inimigo. A transição do tempo vai acrescentando um senso de fatalismo à história, pois o leitor já sabe como ela termina.

Golias é uma figura triste, desconfortável em seu próprio corpo e no mundo ao seu redor, o que enfatiza sua situação como apenas mais uma engrenagem nos mecanismos de uma guerra.

A arte de Gauld tem um estilo característico: seus personagens são minimalistas, quase chegando a serem reduzidos a simples formas geométricas; e os cenários mantêm a simplicidade.

O minimalismo se estende à cor, um marrom terroso que realça o clima melancólico e o tédio de Golias e seu jovem escudeiro, enquanto esperam a chegada do desafiante. Mas sem tornar a leitura algo maçante.

Goliath reconta uma história que faz parte do imaginário da cultura ocidental, mas, ao inverter o ponto de vista, Tom Gauld deixa o mito bíblico com a sua marca. Ele se aproveita do conhecimento do leitor e com isso pode usar as quase 100 páginas para trabalhar sua versão, com sua própria atmosfera e humor.

A edição da Drawn & Quaterly segue a linha minimalista da trama, com uma capa dura branca, apenas com o desenho do gigante gentil sentado em uma pedra. A editora canadense também lançou uma versão em capa cartonada, que é a mais fácil de se achar atualmente.

Classificação:

4,0

.

Compre esta edição aqui!

• Outros artigos escritos por

.

.

.