GRANDES AVENTURAS ANIMAL # 1 – A BELA E A FERA

Por Sidney Gusman
Data: 1 dezembro, 2008


Autores: Carlos Trillo (texto) e Jordi Bernet (desenhos).

Preço: Cr$ 150,00 (preço da época)

Número de páginas: 64

Data de lançamento: 1990

Sinopse: Light é uma loira exuberante, daquelas de, literalmente, parar o trânsito. Ela passou por um tratamento de insensibilização que a deixou completamente imune à dor. Além disso, a curvilínea garota desconhece qualquer tipo de emoção.

Bold é um homenzarrão forte á beça (lembra fisicamente o Hulk, apesar de se vestir de terno e gravata), que destrói tudo por onde passa e trabalha para a mesma organização à qual Light é ligada.

O caminho dos dois seres tão diferentes se cruza quando o teste final de resistência à dor de Light é suportar uma sessão de uma hora de porradaria com Bold. Só que depois de umas pancadas, rola uma atração fatal e nasce um bizarro amor.

O problema é os dois estão no meio de uma trama de espionagem que pode abreviar esse sentimento tão… singular.

Positivo/Negativo: Se na vida real o amor pode surgir das formas mais inusitadas, imagine nos quadrinhos. Por isso, o talentoso argentino Carlos Trillo solta a imaginação ao construir a trama desta graphic novel.

Numa trama que mescla suspense, assassinatos, erotismo, torturas, espionagem e até humor, o amor que surge para unir Light e Bold serve como ponto de convergência para todos esses temas.

As qualidades de Trillo como roteirista “saltam” das páginas. Além de ótimo contador de histórias, seus protagonistas são bem delineados, têm características que os tornam marcantes. Light é tão linda quanto gélida e insensível. Bold, apesar da truculência (há uma passagem em que diz que talvez seja filho da mulher barbada do circo com um gorila!), tem um lado romântico – é fã dos poemas de Charles Baudelaire e Pablo Neruda.

E o mesmo vale para os coadjuvantes, como o inescruploso sr. Smith, o policial canastrão Stuart Lester e seu ajudante Marmota, o enigmático dr. Sasaki e o decadente agente da KGB Vladimir Hlkanin.

Além disso, merece destaque o engraçado narrador dos recordatórios, que interage não só com o leitor, mas também com o casal, nas páginas finais.

Essa caracterização fica mais evidente devido ao traço competente do espanhol Jordi Bernet. Mesmo com uma diagramação tradicional, ele é um exímio narrador visual, sabe trabalhar expressões faciais, desenha mulheres sensualíssimas e domina as técnicas de luz e sombras. O resultado são 64 páginas de leitura muito agradável.

Como é fácil deduzir pelos nomes dos protagonistas, o título original da obra é Light & Bold, mas a adaptação nacional foi feliz. A edição da VHD é competente. O único vacilo significativo é uma inversão nas falas dos personagens Stuart Lester e Sir. Archibald, na página 39.

Na época em que esta revista foi lançada, Abril e Globo publicavam graphic novels sempre em papel de luxo e coloridas. No entanto, nem todas traziam HQs que realmente mereciam esse tratamento.

Esta edição marcou o início da coleção Grandes Aventuras Animal (confira todas as capas aqui), que foi na contramão: apresentou uma série de graphic novels européias em papel jornal, em preto-e-branco, mas com histórias bem divertidas. Esta era uma delas. Se não a conhece, vale a pena uma busca nos sebos.

Classificação:

4,0

• Outros artigos escritos por

.

.

.