Green Blood # 1

Por Rodrigo A. Machado
Data: 30 janeiro, 2015

Green Blood # 1Editora: JBC – Revista mensal

Autor: Kakizaki Masasumi (roteiro e arte).

Preço: R$ 14,50

Número de páginas: 216

Data de lançamento: Janeiro de 2015

Sinopse

O distrito de Five Points, Nova York, é tomado por imigrantes em busca do sonho americano. Mas, ao chegarem à América, eles encontram uma terra sem lei, tomada por gangues e onde pobreza, prostituição e corrupção predominam.

Nesse lugar violento ambientado pelo Velho Oeste, vive Luke, um cara honesto e trabalhador, que tenta dar ao seu irmão Brad, um folgado que dorme até tarde e não sai para procurar emprego, uma vida melhor.

Mas Luke não sabe que, em segredo, Brad é um assassino frio e famoso, conhecido como Grim Reaper, e pertence à Grave Diggers, a maior gangue de Five Points.

Positivo/Negativo

Depois de Hideout, outro bom título de Kakizaki Masasumi chega ao Brasil. A princípio, a arte é o que mais chama a atenção. Quem leu a edição especial da Panini, viu como o autor é detalhista no desenho. Em Green Blood não é diferente.

Os cenários e os figurinos (com direito a chapéus, cartolas e roupas de época), no melhor estilo do Velho Oeste daquela Nova York de 1865, são lindos e transportam o leitor no tempo.

Os personagens são muito bem caracterizados, inclusive os secundários. Todos têm suas expressões, em cada situação, desenhadas minuciosamente, transmitindo a emoção das cenas.

Como no filme Gangues de Nova York, o roteiro aborda Five Points, uma favela estabelecida na “Grande Maça” em 1825. A princípio, era ocupada por escravos que foram libertados e depois por imigrantes chineses, italianos e irlandeses.

Ali residiam pessoas pobres, rurais que migravam para cidade e europeus perseguidos em seu país de origem. O local era tomado por cortiços miseráveis, bares, bordéis e muita violência, pois havia uma espécie de guerra entre as gangues locais, pelo comando da favela.

Em Green Blood, os imigrantes vão a Nova York em busca no tal “sonho americano”, mas encontram a pura miséria, tendo que fazer serviços pesados em troca de moedas para sobreviver. Mulheres se prostituem em bordéis, imigrantes são discriminados, sobretudo os irlandeses e sua religião. Tudo isso com muita violência por parte das gangues e corrupção entre a própria polícia.

Apesar de toda a base histórica, o foco é nos irmãos Luke e Brad, que vivem nesse lugar caótico. Luke é totalmente contra as gangues, e junta suas moedas com trabalho duro para, um dia, dar ao seu irmão e a si mesmo uma vida mais digna.

Enquanto isso, Brad não trabalha, mas esconde um segredo: ganha seu dinheiro matando pessoas, pois é um assassino famoso e pertence à maior gangue de Five Points.

Apesar de ser uma situação batida, essa dos irmãos, em Green Blood, conforme a história vai se desenrolando coisas novas vão surpreendendo o leitor. Especialmente pelos diálogos e pela boa construção dos personagens.

Além disso, o leitor fica na expectativa de qual será a reação de Luke quando descobrir a verdade sobre seu irmão.

Outra pulga que fica atrás da orelha é o que motiva Brad a matar e por que virou membro de uma gangue, mesmo sabendo que seu irmão não aprovaria. Essas coisas só serão reveladas no decorrer dos próximos volumes.

Originalmente, Green Blood foi lançado em junho de 2011, pela Young Magazine, e terminou em 2013, totalizando cinco encadernados.

Com a publicação de mais este título de Masasumi no Brasil, fica uma ponta de esperança para que o mesmo aconteça com Rainbow, mangá de 22 volumes já finalizado no Japão.

Enfim, este excelente mangá foi uma ótima maneira de a JBC começar o ano.

Classificação

4,0

• Outros artigos escritos por

.