Guia Culinário do Falido

Por Zé Oliboni
Data: 30 outubro, 2015

Guia Culinário do FalidoEditora: Balão Editorial – Edição especial

Autores: Leo Finocchi, Marília Bruno, Samanta Flôor, Felipe 5Horas e Fernanda Chiella (texto e arte).

Preço: R$ 10,00

Número de páginas: 32

Data de lançamento: Setembro de 2015

Sinopse

Cinco quadrinhistas se reúnem e mostram suas habilidades culinárias, ou a falta delas, apresentando suas próprias receitas autorais com muito estilo. No cardápio, Macarrão Abandonado, por Leo Finocchi, Hambúrguer, por Marília Bruno, Craca (aquela crosta que fica no fundo da frigideira) Vegetariana e Bolo de Caneca, por Samanta Flôor, Yakimeshi Surpresa e Brigadeiro de Panela Monstro, por Felipe 5Horas, o Molho Maravilhoso, de Fernanda Chiella e a inusitada Mad Coxinha Fury Road, de Felipe e Fernanda.

Positivo/Negativo

Em tempos de Master Chef e vários outros reality show e programas de culinária com muita audiência, cria-se uma impressão de que todo mundo virou um ás dos fogões e que só se come pratos de alto refinamento.

Remando contra essa maré, na melhor tradição dos “antiguias”, esse grupo de quadrinhistas se reuniu para mostrar, em histórias curtinhas e bem-humoradas, que muitas pessoas são um verdadeiro desastre na cozinha.

Uma característica interessante dos autores é que eles são da geração que faz mais sucesso na internet com histórias curtas de humor do que em grandes publicações.

Leo Finocchi, conhecido pelo seu Nem Morto, abre o livro com uma das HQs mais engraçadas da antologia. O traço tem uma pegada cartunesca, bem dinâmica e alguns enquadramentos interessantes dão vida e movimento até para algo tão trivial quanto abandonar um macarrão no fogo e esquecer da vida sentado no sofá jogando videogame (quem nunca fez isso?).

Marília Bruno, conhecida pelo álbum Cara, eu sou legal!, fez a história mais diferente da coletânea. Não só pela pegada mais fantástica, mas também por quase ser “gourmet“, em comparação com os colegas. Vale dizer que o desenho da autora também está evoluindo de forma interessante, bem cartum e mantendo a fofura.

Dos autores, Samanta Flôor é a que mais está dentro da sua linha de trabalho. Ela tem lançado várias obras diferentes, mas, pouco tempo atrás, se destacava na web com HQs sobre seu cotidiano, que incluem, por exemplo, receitas triviais como pão com ovo. Não é a história mais engraçada do livro, mas a doçura do desenho sempre se destaca.

Felipe 5Horas é a grande revelação da edição. A dúvida que fica ao ler as HQs dele é: onde estava esse autor até agora? A narrativa visual é dinâmica e excelente, e o desenho, muito competente. O traço difere um pouco fora do que se vê habitualmente em quadrinhos de humor (o que o ajuda a se destacar ainda mais no álbum), mas funcionou nas piadas sobre as receitas.

Fernanda Chiella e seu gato fecham a cota de “fofura” da edição. Em todos os sentidos, é a HQ mais comportada do livro. Vale pelo desenho cheio de movimento – ela, inclusive, é a responsável (em parceira com Marília Bruno, que fez o design) pela capa,  que ficou muito bacana.

A última história do álbum, feita por Felipe e Chiella, é a única para a qual cabe uma crítica maior. O desenho e a narrativa são ótimos, mas ela só tem graça para quem assistiu ao filme Mad Max – Fury Road. Sem essa referência, o leitor dificilmente verá algo além de uma arte legal.

A edição traz ainda com um índice remissivo por ingredientes, tradicional em livros de culinária, que ajuda o leitor a encontrar facilmente uma receita para fazer com, por exemplo, aquele lagarto de duas cabeças que sobrou no armário.

No geral, é uma coletânea divertida, que vale o preço de capa.

Classificação

4,5

• Outros artigos escritos por

.