H.P. Lovecraft – O Cão de Caça e outras histórias

Por Audaci Junior
Data: 5 fevereiro, 2016

H.P. Lovecraft – O Cão de Caça e outras históriasEditora: JBC – Edição especial

Autor: Gou Tanabe (adaptação e arte) – Originalmente publicado em H.P. Lovecraft: The Hound and other stories (tradução de Edward Kondo).

Preço: R$ 21,90

Número de páginas: 176

Data de lançamento: Dezembro de 2015

Sinopse

O Templo – Dois militares de alta patente da Marinha Imperial Alemã, durante a 1ª Grande Guerra Mundial, encontram um manuscrito que contém um mistério sobre o que há no fundo do oceano.

O Cão de Caça – Uma história sobre dois amigos que tinham um mórbido interesse em roubar sepulturas e guardar “souvenires” de suas expedições noturnas.

A Cidade Sem Nome – Um conto sobre velhas ruínas localizadas em algum lugar nos desertos da Península Arábica, e são mais antigas que a própria civilização humana.

Positivo/Negativo

Sem dúvida, o escritor norte-americano H.P. Lovecraft (1890-1937) é um dos grandes pilares que edificaram e consolidaram o terror nas letras. Mesmo que você não tenha lido nada dele diretamente, já deve ter esbarrado com algum conceito ou elementos sobrenaturais que foram criados por meio da sua literatura, seja em livros, teatro, cinema e quadrinhos.

Bebendo diretamente da fonte, este mangá assume com uma inspirada e detalhada arte hiper-realista os seres ocultos nas sombras e frestas dessas páginas, em três HQs publicadas originalmente na revista Comic Walker (Enterbrain), entre 2009 e 2014, e posteriormente compiladas neste encadernado que a JBC lança no Brasil.

Seja nas vielas de uma cidade, na vastidão do deserto ou dentro de um submarino nuclear, a sensação é de claustrofobia aumentada pelo clima que Tanabe oferece nas suas adaptações.

Em O Templo, o submarino alemão parte para a missão de interceptar um transatlântico da marinha britânica. Um misterioso corpo é encontrado à deriva, supostamente originado da última batalha. A partir de um pedaço de escultura de marfim retirado do defunto, uma maldição começa a se expandir pela tripulação.

O autor alterna entre as várias grades de quadrinhos espremidas nas páginas e o silêncio profundo de amplas páginas duplas no fundo do oceano. A tensão só faz aumentar para uma revelação surpreendente.

Já na HQ que batiza o mangá, o clima macabro e bizarro é feito pelas peças dos colecionadores de objetos das profanações de corpos, incluindo o famoso Necronomicon, livro fictício ligado à magia negra criado por Lovecraft, mais especificamente aos “mitos de Cthulhu”, que fazem parte do universo criado pelo escritor ligado em grande parte das suas obras.

Neste capítulo, o terror é menos sutil, mas é edificado aos poucos, pelas sombras e ruídos noturnos ao redor novamente de um artefato amaldiçoado. Novamente, a tensão na composição de Gou Tanabe é o destaque.

Por fim, a última parte deixa de lado a maldição centrada num objeto e parte para a desgraça residindo numa cidade inteira escondida nas dunas do deserto. De novo, o Necronomicon é citado. É a adaptação menos interessante, mas que vale pela leitura de desbravar e querer buscar respostas deixadas pelos mistérios lovecraftianos típicos.

A zelosa edição da JBC tem formato 14 x 21 cm, capa cartonada com orelhas e aplique de verniz, papel offset com uma boa qualidade de impressão.

Sempre presente em obras de nomes consagrados como Alan Moore e Mike Mignola, dentre muitos outros, O Cão de Caça e outras histórias é um bom ponto de partida para quem nunca leu ou ouviu falar de H.P. Lovecraft. Se é que exista tal “mito” por aí.

Classificação

4,0

.

Compre H.P. Lovecraft – O Cão de Caça e outras histórias aqui!

• Outros artigos escritos por

.

  • Heberton Arduini

    Fiquei tentado por esse mangá tempos atrás. Só não comorei porque não gosto de mangá, mas vou pensar com carinho em adquirir.

  • Larrous

    H.P. Lovecraft deixou um legado incrível e essa HQ faz jus a isso. Altamente recomendado até para quem não conhece o escritor.

  • Curti muito esse mangá, principalmente por se diferenciar da maioria das coisas que sai por ai. Infelizmente tem alguns pontos baixos durante a narrativa visual, mas vale muito a pena a leitura.

  • Victor Vitório

    Interessante como os pontos de vista variam: achei os 2 primeiros contos decepcionantes, frustraram bastante minha expectativa. O primeiro, principalmente, tem uma narrativa inconstante, os quadrinhos n fluem bem e achei difícil me importar com qualquer coisa nele. O fato de mudarem a história p incluir nazistas pareceu um clichê arbitrário e moralizante, já q isso basta p automaticamente serem vilões q vão receber o q merecem. O segundo até tem uma história apresentável, mas os desenhos e os quadros também são de pobre capacidade de criar uma atmosfera de horror crescente e consistente. O terceiro e mais curto, A Cidade Sem Nome, foi o único q me provocou uma sensação lovecraftiana e salvou a coletânea. Ele consegue passar ao leitor o fardo de um protagonista q descobriu o q a humanidade n devia saber e corre perigo em meio a terrores acenstrais maiores q ele.