Hellblazer – Infernal – Volume 3 – Anjos e demônios

Por Tiago Salviatti
Data: 22 maio, 2015

Hellblazer - Infernal - Volume 3 - Anjos e demôniosEditora: Panini Comics – Edição especial

Autores: Garth Ennis (roteiros), David Lloyd (arte edição # 56), Steve Dillon (arte # 57 e # 58) e Will Simpson (arte # 59 a # 61). Originalmente publicado em Hellblazer # 56 a # 61.

Preço: R$ 23,90

Número de páginas: 160

Data de lançamento: Dezembro de 2014

Sinopse

A vida pessoal de John Constantine parece finalmente entrar nos eixos, conforme ele se acerta com Kit. Mas “normal” é uma palavra que não consta do seu cotidiano e, aqui, o mago se depara com fantasmas, anjos e demônios.

Positivo/Negativo

Quando se pensa em Garth Ennis, não existe característica mais marcante que sua incrível capacidade de criar e desenvolver personagens secundários interessantes.

Na verdade, são coadjuvantes por mera formalidade (e necessidade da trama), mas são, sem dúvida, senhores de suas próprias histórias e estampam mais tempo e páginas que o dono da revista.

Notadamente, é o caso de Chas, muitas vezes pouco mais que um extra sem falas que aparece para dar carona, pagar contas e, de maneira geral, quebrar galhos para Constantine.

Na trama de Barro Mortal, ele realmente cresce e se destaca, expondo uma série de camadas do personagem que, por suas tão limitadas participações anteriores, jamais cruzariam a mente de um leitor. Inclusive que ele nem sequer se chama Chas.

O crescimento do personagem é notável, principalmente à medida que descobre um pouco mais sobre o universo sobrenatural. Afinal, ele, como um cidadão comum, vê todo um universo de coisas e conhecimentos além do que achava possível. Não existem ramificações imediatas para isso, mas a análise simples é que sua vida jamais será a mesma.

David Lloyd volta a trabalhar com a série e, como em suas colaborações anteriores, não desaponta. O tom sujo, para mostrar ambientes como metrôs, ruas, vielas e porões pouco iluminados casa bem.

Parece até que, quanto mais o protagonista da história se afunda, mais Lloyd brilha.

A história apresenta Triskelle, a vilã do próximo arco (Meninos & meninas, título parcialmente inspirado pelo musical da Broadway Guys and Dolls), que traz Chantinelle ganhando seu espaço (ela antes aparecera brevemente como a amiga súcubo de Constantine, no volume 1 de Infernal – Hábitos Perigosos, a quem ele procura antes do Arcanjo Gabriel). E aqui é mostrado o primeiro contato dela com o mago, colocando-o novamente frente a frente com o Primeiro dos Caídos.

Enfim, Ennis consegue tratar cada personagem secundário com respeito e desenvolver boas histórias. Ele entretém e cria uma ligação com o leitor, que só reforça o interesse por mais e novas (e mais desenvolvidas) histórias desses coadjuvantes.

Ainda que o autor não reinvente a roda e esteja longe de ser inovador, é bem divertido. E, muitas vezes, isso basta.

Classificação

4,0

• Outros artigos escritos por

.