Hellboy – O Gigante Infernal # 1

Por Sérgio Codespoti
Data: 19 maio, 2001

Hellboy – O Gigante Infernal # 1Editora: Mythos Editora – Mini-série em 2 edições

Autores: Mike Mignola (roteiro e arte) e James Sinclair (cores)

Preço: R$ 5,50

Data de lançamento: Abril de 2001

Sinopse

Publicada originalmente nos Estados Unidos em junho de 1997, Hellboy – O Gigante Infernal (Hellboy Almost Colossus) é uma espécie de continuação dos eventos de Hellboy – O Despertar do Demônio, publicado aqui pela Mythos em 1999. A edição foi lançada num formato ligeiramente menor que o formato comics tradicional.

Nesta história, Liz Sherman encontra-se num estado crítico, internada num instituto romeno, devido aos eventos ocorridos na já mencionada série anterior. Enquanto isso, Hellboy e a agente Corrigan investigam desaparecimentos de corpos dos cemitérios locais.

A chave para o problema de Liz e os desaparecimentos está relacionada com o homúnculo que retornou à vida graças aos poderes pirocinéticos de Liz Sherman (emHellboy – O Despertar do Demônio). Mas a trama se complica e fica mais misteriosa quando o homúnculo encontra seu “irmão” mais velho.

Hellboy e Corrigan terão que enfrentar uma horda de seres criados pela alquimia, sem falar no gigante do título, para solucionar o mistério e salvar Liz. Dica: depois de ler esta história alugue a fita (ou DVD) de Frankenstein, aquele remake do Coppola, e divirta-se.

A verdade é que Mignola pretendia matar Liz, mas foi dissuadido por Glen Murakami (diretor de arte do desenho Superman), que é fã da personagem. O Gigante Infernal, segundo Mignola, foi essencialmente baseado num conto de Clark Ashton Smith, chamado The Collosus of Ylourgne.

Positivo/Negativo

Hellboy continua sendo um título acima da média das publicações do mercado. Inteligente, desenhado e escrito com maestria por Mike Mignola, cheio de referências visuais e literárias, é um prato cheio pra qualquer fã de quadrinhos.

Originalmente, esta história saiu em duas partes, sendo posteriormente reunidas num encadernado com outras aventuras. A versão da Mythos reúne os números 1 e 2 da série original em uma única edição.

A capa escolhida foi a bela arte do encadernado americano (ao invés das capas das edições individuais) e também contém as três páginas adicionais que Mignola fez para a compilação.Como purista, também gostaria de ver as capas originais publicadas… quem sabe quando encadernarem a edição.

Estranho mesmo é a Mythos anunciar que a revista é a “Parte 1 de 2”, sendo que a edição traz uma história fechada. E o mesmo ocorre com a segunda parte, que traz Os Lobos de Santo Augusto e O Caixão Acorrentado. Então, fica a dúvida: por que não duas edições especiais?

De qualquer modo, material de Hellboy é o que não falta. Existe uma grande abundância de pequenas histórias e até mesmo outras mini-séries em duas partes, tudo inédito, esperando para serem publicadas. Os leitores agradecem.

Classificação

4,0

• Outros artigos escritos por

.

.

.