HOMEM-ARANHA # 12

Por Rodrigo L. Monteiro
Data: 1 dezembro, 2001

Homem-Aranha #12Título: HOMEM-ARANHA # 12 (Editora Abril) – Mensal

Autores: Homem-Aranha – Stan Lee & Lee Weeks (textos), John Romita, Gil Kane & Lee Weeks (lápis), Jim Mooney, John Romita & Richard Case (nanquim), Steve Buccelatto (cores); Homem-Areia – Gregory Wright (texto e cores), Andy Kuhn (lápis), Harry Candelaro (nanquim); Vingadores – Jerry Ordway (texto & lápis), Al Vey, George Pérez & Jerry Ordway (nanquim), Tom Smith (cores).

Preço: R$ 10,00

Data de lançamento: Julho de 2001

Sinopse: Quando ainda cursava seus primeiros dias de faculdade, Peter Parker já tinha um número expressivo de inimigos. Naquela época, antes do surgimento de personagens como o Duende Verde e, recentemente, Venom, o maior inimigo do aracnídeo era o Dr. Octopus. Quando o vilão foge da cadeia, um de seus objetivos principais é, claro, vingança.

Ao longo das 56 páginas desse arco histórico escrito pela lenda Stan Lee, herói e vilão se envolvem numa série de batalhas. Na última, Octopus acaba derrubando uma chaminé sobre George Stacy, que falece nos braços do Aranha.

Nos dias seguintes, o Homem-Aranha é acusado injustamente de ter causado a morte do capitão. Peter Parker se corrói de remorso, a ponto de se isolar de tudo e de todos, inclusive de Gwen, sua namorada e filha de Stacy. No meio disso tudo, ele ainda tem que se esforçar para recuperar-se de um mau rendimento acadêmico, e para provar sua inocência. Para isso, precisa confrontar novamente Octopus, que vem manipulando informações para piorar ainda mais a situação do Aranha.

Assumindo de vez seu retorno à vida de vilão, o Homem-Areia tenta se apoderar de um artefato alienígena e acaba tendo que enfrentar Silver Sable e seu Comando Selvagem.

Em Polemacus, os Vingadores tem a difícil tarefa de resgatar a Capitã Marvel, derrubar o governo tirano da Gangue da Demolição (liderados pelo Destruidor) e devolver a coroa ao legítimo governante, Arkon. Tem ainda que encontrar uma forma de voltar para casa. Enquanto isso, na Terra, eventos sinistros, de repercussões drásticas nas vidas dos heróis mais poderosos do planeta, começam a se desenrolar.

Positivo/Negativo: A morte do capitão George Stacy foi um dos eventos mais marcantes da vida do Homem-Aranha. Para introduzir uma história jamais mostrada com os acontecimentos dos dias que se seguiram a este fato, a Abril preparou uma republicação contendo as três aventuras que marcam o evento.

Por um lado, isso foi uma boa iniciativa, pois dá aos leitores mais novos a oportunidade de ficar mais bem informados sobre eventos do passado do Aranha. Para os mais velhos foi uma boa oportunidade para se rever o trabalho de Stan Lee, John Romita e Gil Kane, alguns dos principais responsáveis pelo sucesso do personagem em seus primeiros dias. Mas de outro ângulo, esta história é uma prova cabal da fase sofrível em que o Aranha se encontra.

A história de Lee Weeks é bem legal, o roteiro é conciso e o texto, enxuto. Nos faz ter saudades de uma época em que o Aranha ainda tinha histórias interessantes, que nos faziam contar os dias para ver a próxima edição. Em setembro, no entanto, as coisas voltam ao normal e Mackie prepara mais um retorno: depois de Mysterio, do Sexteto Sinistro, Venom, Carnificina e o Duende Verde, é chegada a vez dos Caça-Aranhas.

A história do Homem-Areia, como a do mês passado, não diz ao que veio. Já os Vingadores fecham o arco de histórias de Jerry Ordway, enquanto Busiek estava de férias. E as coisas tendem a melhorar com o começo da saga de Ultron, a partir do mês que vem.

Pra não dizer que não há nada errado nesta edição, nas histórias republicadas, que, segundo a Abril, foram recoloridas digitalmente, há erros absurdos: o cabelo de Gwen Stacy (loira) foi pintado de ruivo (páginas 10 & 11); e o de Octopus (castanho) é preto em todas as três histórias. E o preço, que passou de R$ 9,90 para R$ 10,00, sem nenhum motivo aparente.

Classificação:

4,0

• Outros artigos escritos por

.

.

.