HOMEM-ARANHA # 14

Por Rodrigo L. Monteiro
Data: 1 dezembro, 2001

Homem-Aranha #14Título: HOMEM-ARANHA # 14 (Editora Abril) – Revista mensal

Autores: Homem-Aranha – Rob Liefeld & Eric Stephenson, Paul Jenkins (textos), Ian Churchill, Mark Buckinghan (lápis), Norm Rapmund, Dan Green (nanquim), Digital Broome & Peter Pantazis, Joe Rosas (cores);
Wolverine & Coisa – Larry Hama (texto), Kaare Andrews (lápis), Walden Wong (nanquim), Kevin Sommers (cores);
Vingadores – Kurt Busiek (texto), George Perez (lápis), Al Vey (nanquim), Tom Smith (cores).

Preço: R$ 10,00

Data de lançamento: Setembro de 2001

Sinopse: Homem-Aranha – Estranhos assassinatos têm ocorrido nos subterrâneos da cidade de Nova York, e Wolverine decide caçar o responsável. Recebendo a ajuda involuntária de uma unidade especial do Departamento de Polícia local, ele acaba se defrontando com uma estranha raça de seres.

No confronto que se segue, o Homem-Aranha aparece. Juntos, o escalador de paredes e o mutante conseguem derrotar uma das criaturas e descobrem que a mente por trás delas é ninguém mais, ninguém menos, do que o Toupeira. No entanto, o vilão não é o responsável pelos assassinatos em série, realizados por remanescentes dos Morlocks.

Para que mais assassinatos sejam evitados, é necessário que Wolverine vença o líder do grupo num duelo.

Wolverine & Coisa – Antes de Wolverine se integrar ao projeto “Arma X”, antes de Ben Grimm entrar no foguete que o levaria junto com mais três companheiros numa viagem desastrosa com o objetivo de chegar à lua, antes de Nick Fury perder um olho e antes ainda de Tony Stark criar a armadura do Homem de Ferro, esses personagens se uniram em uma missão de espionagem.

Para isso, Ben e Logan, aliados a Carol Danvers, foram enviados para a Rússia em plena guerra fria, para obter dados sobre um novo projeto soviético, cuja tecnologia era desconhecida no ocidente. Pelo menos, isso é o que foi dito para todos.

Na verdade, o objetivo da missão era a obtenção de uma substância chamada “Tempestade Rubra”. Logan deveria obter esse material. A tarefa se revela suicida, quando os três precisam enfrentar uma guarnição do exército russo e a primeira Viúva Negra, Natália Shostakova, sem contar com nenhum apoio do governo americano…

Vingadores – Os Vingadores enfrentam problemas internos e externos. A opinião pública começa a questionar a validade das ações do grupo, depois do massacre perpetrado por Ultron na Eslorênia. Para piorar as coisas, membros da comunidade negra protestam quanto ao fato da grande maioria dos membros ativos do grupo ser branca.

No ambiente interno, Visão questiona Magnum sobre as razões e propósitos de sua vida, e ambos acabam entrando em conflito. Com isso, aparentemente, os Vingadores acabam perdendo mais um de seus membros. Paralelamente, no Himalaia, uma nova ameaça surge…

Homem-Aranha – Peter Parker visita o túmulo do Tio Ben, relembrando os bons tempos de sua infância e adolescente ao lado dele e da Tia May e fazendo-se a seguinte pergunta: Quando foi que ser o Homem-Aranha deixou de ser divertido?

Positivo/Negativo: Homem-Aranha # 14 deveria se chamar Wolverine # 14, já que, depois de algum tempo, o Aranha volta a ser um mero coadjuvante em seu título. Apesar de termos um descanso das histórias lamurientas de Howard Mackie, isso não é um consolo.

A história de Wolverine e Aranha nos túneis é meio arrastada. Parece que a dupla Liefeld & Stephenson queriam mostrar o maior número de personagens possível em 44 páginas. Eles criaram novos Morlocks e monstros subterrâneos, além da Tenente Tara Curson. Não seria de surpreender se qualquer um desses personagens aparecerem na fase em que Liefeld escreveu o Wolvie, ainda inédita por aqui.

Já a história de Logan e Ben é recheada de ação e intriga, lembrando bastante os antigos desenhos animados dos Comandos em Ação. Nenhuma coincidência, já que Larry Hamma foi o escritor da série nos Estados Unidos por bastante tempo.

Os Vingadores vêm no mesmo nível das edições anteriores. Novamente, Kurt Busiek mostra que conhece muito bem os personagens que têm em mãos, ao explorar o conflito de Visão com Magnum, fazendo uma retrospectiva de toda a história de ambos.

Fechando a edição, Paul Jenkins faz a história mais leve e agradável do Aranha nos últimos meses, com Peter relembrando sua infância e adolescência ao lado do Tio Ben. O autor conseguiu explorar bastante um lado quase nunca visto de Ben, ou seja, o “palhaço” brincalhão que existia por trás daquela figura sábia e que, de uma forma ou outra, foi o principal responsável por moldar a personalidade de Peter. Uma HQ com o mesmo nível de qualidade da dos Vingadores.

Classificação:

4,0

• Outros artigos escritos por

.

.

.