Homem-Aranha # 140

Por Marcelo Alexandre Pacheco
Data: 4 outubro, 2013

Homem-Aranha # 140Editora: Panini Comics – Revista mensal

Autores: Caminho sem volta (Amazing Spider-Man # 691) – Dan Slott (roteiro), Giuseppe Camuncoli e Mario Del Pennino (desenhos), Klaus Janson e Daniel Green (arte-final) e Frank D’Armata (cores);

Alfa (Amazing Spider-Man # 692) – Dan Slott (roteiro), Humberto Ramos (desenhos), Victor Olazaba (arte-final) e Edgar Delgado (cores);

Homem-Aranha por uma noite (Amazing Spider-Man # 692) – Dean Haspiel (roteiro e arte) e Giulia Brusco (cores).

Preço: R$ 6,50

Número de páginas: 64

Data de lançamento: Agosto de 2013

Sinopse

Caminho sem volta – Parte final do arco. Mudanças ocorrem com o Lagarto, tanto em sua personalidade quanto no visual.

Alfa – Há um novo herói no pedaço e o Homem-Aranha (com seu lema de poder e reponsabilidade) não quer perder a oportunidade de treiná-lo.

Homem-Aranha por uma noite – Uma emocionante história do passado do herói.

Positivo/Negativo

Dan Slott continua fazendo seu trabalho de revitalizar os vilões do herói aracnídeo. Mas nem sempre o resultado é bom. Vide o Lagarto.

Este arco foi lançado na mesma época do filme Espetacular Homem-Aranha, daí a escolha do oponente. Modernizar vilões é sempre válido, mas a abordagem para o Lagarto ficou bem aquém do esperado.

Outra participação (bem pequena neste número) é de Morbius, o vampiro que “vive” angustiado pela sua condição. Ao final da aventura, o retorno de outro antagonista do herói, que há muito não aparecia e promete dar muita dor de cabeça ao aracnídeo.

Na sequência, uma página-resumo reconta a origem do Homem- Aranha, que comemorava seus 50 anos com a edição Amazing Spider-Man # 692. Aqui há também o início do arco Ponto de origem, com o surgimento de um novo personagem chamado Alfa, que pode se tornar o super-herói mais poderoso do mundo.

Peter Parker é o responsável direto pela origem dele e, por isso, vai tentar ensinar ao garoto o que sabe sobre super-heroísmo e a máxima “com grandes poderes, vêm grandes responsabilidades”.

O problema é Alfa, a princípio, parece ser mais um personagem descartável.

A última aventura narra uma noite na vida de um ladrão que acha o uniforme do Homem-Aranha jogado no lixo (continuação da clássica Amazing Spider-Man 50, de 1967). Simples e emocionante, é o melhor da revista.

Louvável a iniciativa da Panini de publicar as capas originais e variantes de Amazing Spider-Man # 692, nas quais se comemorou os 50 anos do surgimento deste que é dos maiores super-heróis dos quadrinhos.

De negativo, algumas mancadas de revisão. Palavras sem espaço separando-as (“reverteras”, em vez de “reverter as”, na página 6), outras faltando letras (“de haver”, em vez de “deve haver”, na página 6), erros de concordância (“um ajuda”, na página 28) e termos faltando (“você sequer nos telefonema”, na página 43). Óbvio que não é necessário escrever como se fosse um livro de ortografia, mas esses equívocos passam uma péssima impressão sobre o cuidado editorial.

Classificação

2,5

• Outros artigos escritos por

.