HOMEM-ARANHA # 16

Por Rodrigo L. Monteiro
Data: 1 dezembro, 2001

Homem-Aranha #16Título: HOMEM-ARANHA # 16 (Editora Abril) – Revista mensal

Autores: Tom DeFalco, Fabian Nicieza & Paul Jenkins (texto), Lee Weeks, Steve Rude & Mark Buchingham (lápis), Bob McCleod, Bob Wiacek, Dan Green e Rodney Ramos (nanquim).

Preço: R$ 10,00

Data de lançamento: Novembro de 2001

Sinopse: Pela primeira vez desde o lançamento dos Super-Heróis Premium, uma edição do Homem-Aranha é 100% dedicada ao herói aracnídeo. São duas mini-séries e uma história fechada, num total de sete.

Mystério suicidou-se depois de um brilhante plano que quase levou o Demolidor à loucura, certo? Se isso é verdade, então quem é o vilão que, pouco depois dessa suposta morte, aprisionou Peter Parker e seus amigos num mundo perfeito de fantasia? Quem tem vestido o seu traje e lutado contra o Aranha ao lado do novo Sexteto Sinistro?

Quando alguém simulando os poderes do Homem-Aranha ataca o Demolidor, o herói cego acha que é hora de descobrir a verdade por trás da morte e retorno de Mystério. Seria ele Quentin Beck ou algum outro mago em efeitos especiais reassumindo a identidade do vilão? As respostas (ou não) estão nesta edição. Além de Demolidor e Mystério, temos ainda o retorno do Halloween.

Anos atrás, o Cabelo de Prata se empenhou na busca de um artefato conhecido como a Pedra Vital. Supostamente, ela conteria a receita de uma fórmula que, ao ser bebida, daria ao agraciado juventude eterna. No entanto, novos fragmentos da Pedra foram descobertos e mostram que a fórmula nela descrita concede poderes praticamente ilimitados, de forma que essa pessoa poderia literalmente transformar a o mundo e a realidade ao seu bel prazer.

Depois de anos desaparecida, a Pedra reapareceu e motivou uma verdadeira guerra por sua posse. César Cicero, advogado da Maggia e o Cabeça de Martelo a disputam. Enquanto o primeiro tem em sua folha de pagamento o Enguia e Marko, o Homem-Montanha; Cabeça de Martelo contratou o Bumerangue.

Mais: O Cabeça de Martelo ainda seqüestrou a família de Curt Connors, para obrigar o cientista a produzir a tal fórmula. O doutor, por sua vez, pretende usá-la em si, para se livrar de uma vez por todas de seu alter-ego reptiliano, o Lagarto. No meio disso tudo, um certo herói aracnídeo tenta salvar o mundo…

Paul Jenkins mostra um dia regular na vida de Peter Parker e do Aranha, enquanto ele tenta tomar uma decisão há muito tempo adiada. Participação do Tocha Humana.

Positivo/Negativo: Manifesto Mysterio foi a forma que a Marvel encontrou para tentar resolver um problema de comunicação entre seus estúdios, quando Howard Mackie decidiu usar Mystério em um arco de histórias do Aranha, pouco depois do vilão ter se suicidado no período em que Kevin Smith escreveu o Demolidor.

A Marvel acabou dando a Tom DeFalco a tarefa de resolver essa discrepância. Apesar de não criar nenhuma obra-prima dos quadrinhos, ele consegue escrever uma história interessante, mesmo utilizando clichês já manjados por leitores de histórias de mistério.

Fabian Nicieza (texto) e Steve Rude (arte), por sua vez, criam uma história bem legal. Eles fazem com que, a princípio, pensemos que se trate de algum “Arquivo Secreto do Homem-Aranha”, e não uma história da cronologia atual do aracnídeo.

Rude usa e abusa de diagramações popularizadas por nomes como Steve Ditko e John Romita Sr nas décadas de 1960 e 1970. A narrativa também se encaixa nesse estilo trazendo, no mínimo, uma história diferente das que normalmente vemos nos quadrinhos do atuais do Homem-Aranha.

Por fim, Paul Jenkins mostra como é um dia mais ou menos comum na vida de Peter Parker, cobrindo do café da manhã à hora de dormir. É engraçado que o dilema que persegue o personagem nesta história é algo bem simples, mas ele acaba criando uma verdadeira “tempestade em copo d’água”, como a maioria de nós.

Classificação:

4,0

• Outros artigos escritos por

.

.

.