HOMEM-ARANHA # 59

Por Zé Oliboni
Data: 1 dezembro, 2007


Título: HOMEM-ARANHA # 59 (Panini
Comics
) – Revista mensal

Autores: Homem-Aranha – Dinastia M – Mark Waid e Tom Peyer (roteiro) e Salvador Larroca (desenhos);

Pulse – Dinastia M – Brian Michael Bendis (roteiro) e Michael Lark (desenhos).

Preço: R$ 6,90

Número de páginas: 96

Data de lançamento: Novembro de 2006

Sinopse: Homem-Aranha – Dinastia M – Peter Parker tinha a vida que sempre sonhou, mas isso mudou repentinamente quando J.J. Jameson conseguiu um diário que revelava que o herói fingia ser mutante para conseguir prosperar no mundo da Dinastia M.

Agora, ele e sua família sofrerão as conseqüências e terão uma grande surpresa quando a identidade do Duende Verde for revelada.

Pulse – Dinastia M – O Gavião Arqueiro está de volta à vida e se lembra de tudo que aconteceu antes de Wanda mudar a realidade. Agora, confuso e magoado, ele tenta descobrir sua missão nesse novo mundo.

Positivo/Negativo: A edição toda é ligada à Dinastia M, mas as histórias não influenciam em nada a minissérie principal. Pelo contrário! Uma delas é até incoerente com os acontecimentos do evento. Mesmo assim, são divertidas.

As três edições de Homem-Aranha – Dinastia M chegam a surpreender com algumas idéias diferentes. Peter vive num mundo onde todo o azar que sempre teve não aconteceu. Contudo, ele não consegue aceitar essa sorte, não se conforma por sua vida ser tão boa.

Para extravasar esses pensamentos, escreve um diário no qual coloca seus piores pesadelos, ou seja, a vida que tem na realidade fora da Dinastia M. Mais do que isso: ele enlouquece com essas idéias e se transforma no Duende Verde para sabotar a si mesmo.

Esses conceitos geraram uma trama que prende o leitor e conduz a um final típico do Homem-Aranha, em que ele acaba feliz, mas de uma forma diferente, com alguns traumas, cicatrizes e muita responsabilidade.

O problema da história, além do desenho bem fraco de Larroca é que ela vai na contramão dos eventos da Dinastia M e seus reflexos. Na minissérie, Peter descobre que a realidade foi alterada quando sua vida está no ápice. Ele parte para a luta contra Wanda e volta ao mundo normal sabendo que está deixando para trás tudo que sempre quis.

Dessa forma, os eventos mostrados nesta revista são uma extrapolação do que poderia acontecer com o personagem naquela realidade.

Pulse – Dinastia M talvez seja a única história que complementa a saga principal, provavelmente por ter sido escrita pelo próprio Bendis. Tem toda a pinta de ser a trama que ele queria contar, mas que era grande demais para a minissérie. Não que ela seja essencial para a compreensão, mas é interessante.

Ver como o Gavião Arqueiro se sente após sua ressurreição e a descoberta de que ele foi morto pela própria Wanda é muito legal. É uma aventura fechada, intensa e com um desenho que combina bem com a proposta da trama.

Classificação:

4,0

• Outros artigos escritos por

.

.

.