Horas Escuras

Por Gustavo Nogueira
Data: 28 setembro, 2018

Horas EscurasEditora: Jovens Escribas – Edição especial

Autores: Leander Moura (roteiro e desenhos) e Cristal Moura (desenhos).

Preço: R$ 35,00

Número de páginas: 64

Data de lançamento: Maio de 2018

Sinopse

Um homem adentra uma mata disposto a enfrentar algo que está além de sua compreensão. Uma mulher tem visões de coisas que apenas ela sabe o motivo. Algo invisível traz confusão, loucura, ruína e morte a uma pequena comunidade. Passado e presente se confundem numa realidade despedaçada e cheia de mistérios.

Positivo/Negativo

Crescemos com medos. Chamamos de infantis os medos de coisas simples, como o clássico fantasma de lençol. Em Horas Escuras, Leander Moura traz à tona o terror do que não se vê, das horas mais escuras do dia.

Os quadrinhos de terror possuem grande importância na história da nona arte no Brasil, graças aos trabalhos de grandes artistas, como Rodolfo Zalla, Flavio Colin e Julio Shimamoto. Com o passar do tempo, esse gênero foi se tornando cada vez mais escasso no mercado, e só não caiu no esquecimento por causa de autores que – ainda bem – não desistem dele.

Horas Escuras é uma prova disso.

A HQ é dividida em três partes, todas cercadas de muito suspense. A condução das tramas consegue atiçar a curiosidade do leitor e levá-lo para o universo do mistério. Em contrapartida, as conclusões são fracas e não alcançam a tensão criada. Há grande foco nos personagens, mas com pouca construção de suas caracerísticas, devido às poucas páginas. A sensação que fica é que, com mais espaço, teria-se boas histórias.

No entanto, Leander e Cristal criam o clima perfeito de terror e suspense, graças à talentosíssima arte. Usando somente preto e branco, a HQ é engolida pela escuridão e as sombras, página após página. Os desenhos, feitos a quatro mãos, são marcantes e trazem fortes inspirações de artistas como Richard Corben.

A edição tem formato 21 x 28 cm, lombada quadrada e impressão com papel pólen de boa qualidade. Traz algumas belas artes como extras.

Mesmo com um roteiro fraco, Horas Escuras apresenta uma da arte muito competente, que merece grandes histórias para dar ainda mais brilho (ou escuridão) ao trabalho de Leander e Cristal.

Classificação:

3,5

• Outros artigos escritos por

.

.

.