Ícones dos Quadrinhos

Por Marcelo Naranjo
Data: 13 dezembro, 2013

Ícones dos QuadrinhosEditora: independente – Edição especial

Autores: (em ordem de aparição) Mauricio de Sousa, Renato Guedes, Thony Silas, Sergio Cariello, Rafael Albuquerque, Ivan Reis, Alex Maleev, Cris Peter, Lelis, Gabriel Góes, Flávio Luiz, Eddy Barrows, Scott McDaniel, Jok, Breno Tamura, João Marcos, Rafael Coutinho, Ben Templesmith, Dave Johnson, Cliff Richards, Geraldo Borges, Laudo, Charlie Adlard, Eduardo Ferigato, Eduardo Pansica, Cris Bolson, Julian Totino, Daniel HDR, Vitor Cafaggi, Sam Hart, Rod Reis, Alisson Borges, Pedro Cobiaco, Duke, Mahmud Asrar, Greg Tocchini, Eduardo Schaal, João Montanaro, Marcelo Braga, Carlos Magno, Julio Shimamoto, Rodney Buchemi, Will Sideralman, Mauro Souza, Luis Augusto, Ana Luiza Koehler, Ryan Sook, Rafael Grampá, Rogério Coelho, Tiago Elcerdo Lacerda, Rayner Alencar, Eduardo Damasceno, Luís Felipe Garrocho, Bruno Oliveira, Peter Kuper, Phil Hester, Roger Cruz, Olivier Martin, Ig Guara, Adriana Melo, Bira Dantas, Weberson Santiago, Mozart Couto, Magno Costa, Jean Galvão, Gustavo Duarte, Amilcar Pinna, Joe Prado, Joe Bennett, Jheremy Raapack, Maurenilson Freire, Max Fiumara, José Aguiar, Darwyn Cooke, Allan Goldman, Mario Cau, Eduardo Medeiros, Ibraim Roberson, Sean Murphy, Marcio Takara, Will Conrad, Diógenes Neves, Jeff Lemire, Yildiray Cinar, Eduardo Risso, Fabio Cobiaco, Mike Deodato Jr, Mike McKone, Liniers, Danilo Beyruth, Lu Cafaggi, Daniel Wernëck, Salvador Sanz, Mateus Santolouco, Marcelo Costa, Luciano Salles, Jack Herbert, Felipe Massafera, Bill Sienkiewicz, Gleydson Caetano e Davi Calil.

Preço: R$ 60,00

Número de páginas: 240

Data de lançamento: Novembro de 2013

Sinopse

Livro criado para registrar a exposição homônima que foi apresentada no FIQ– Festival Internacional de Quadrinhos de Belo Horizonte de 2013, com 100 artistas convidados para interpretarem 100 personagens clássicos dos quadrinhos, além de compartilharem com os leitores o motivo de seu vínculo com esses ícones.

Positivo/Negativo

Assumidamente inspirado pelo projeto MSP 50, no qual várias artistas deram sua versão particular da Turma da Mônica, Ícones dos Quadrinhos traz uma releitura de vários personagens famosos dos quadrinhos, na visão de cada um dos 100 artistas que participaram da exposição apresentada no FIQ 2013, que deu origem à obra.

Aliás, o prefácio é assinado por Sidney Gusman, idealizador do projeto MSP 50.

E o livro é um tremendo acerto do seu idealizador, Ivan Freitas da Costa, que disponibilizou o projeto na plataforma colaborativa Catarse, na qual foi viabilizada a publicação.

Em cada página da obra, um histórico do personagem retratado, o motivo pelo qual foi escolhido, uma minibiografia do artista que produziu o trabalho e, obviamente, a ilustração em si.

É prazeroso acompanhar o motivo pelo qual cada artista escolheu determinado personagem – a forte influência que sofreu, a importância em determinado contexto, fazer uma homenagem ou simplesmente apresentar algo em estilo diferente.

Tarefa injusta seria apontar quais as melhores artes, pois, além do alto grau de qualidade do traço dos talentosos autores selecionados, cada um terá sua favorita, seja por motivos afetivos ou por gostar mais de determinado estilo de desenho.

Um ponto alto é que o livro aproxima o fã do artista, pois a sensação que fica para o leitor é de estar batendo um papo com amigos que estão contando por que se apaixonaram por este ou por aquele personagem.

Assim, a leitura da obra é garantia de horas de diversão, seja analisando detalhes ou comparando novas visões e releituras de tantos e queridos ícones dos quadrinhos.

Sem dúvida, um fantástico projeto editorial, que permitiu reunir super-heróis, personagens infantis, heróis clássicos ou contemporâneos e até mesmo protagonistas de mangás em um único volume.

E seja ao lado de um Tio Patinhas explorador, numa pose heroica do Homem de Ferro ou saltitando de alegria com a Mafalda, dentre tantos outros, o mundo da imaginação toma conta de quem abrir as páginas dessa obra de referência que engrandece sobremaneira essa forma de arte que, cada vez mais, ganha notoriedade e valorização.

Uma obra tão bacana que, como diz a expressão popular, não está no gibi. Mas é fato que não existiria sem ele. E essa é a maior das homenagens.

Classificação

5,0

• Outros artigos escritos por

.