Inumanos # 1

Por Samir Naliato
Data: 28 julho, 2001

Inumanos # 1Editora: Mythos Editora – Mini-série em 4 edições

Autores: Paul Jenkins (argumentos) e Jae Lee (arte).

Preço: R$ 6,90

Data de lançamento: Junho de 2001

Sinopse

Attilan. Uma cidade isolada do resto do planeta, lar dos Inumanos, e governada por Raio Negro. Uma sociedade única, com seres considerados verdadeiros deuses. Como acontece há várias gerações, jovens se preparam para o dia da transformação – o fardo da hereditariedade – quando seus poderes surgirão e poderão servir ao seu rei e a Attilan. Infelizmente, nem todos sobrevivem ao processo.

Alguns alcançam o seu objetivo, outros morrem e há ainda aqueles cuja experiência não tem resultado, e podem acabar sofrendo uma espécie de atraso mental. Eles são considerados “alfas-primitivos”.

E é isso que pensam ter acontecido com Woz, mas eles estão enganados. Levado ao subterrâneo da cidade, para junto dos outros alfa-primitivos, logo o seu poder se manifesta. Um poder muito útil para os planos destrutivos de Máximus, o irmão de Raio Negro e prisioneiro do reino.

Tudo isso acontece no momento em que o mundo inteiro discute quem são os Inumanos e quando alguns países planejam um ataque à sua cidade.

Positivo/Negativo

Ponto positivo? Certo… por onde eu começo? Os pontos positivos são muitos. Os Inumanos são personagens pouquíssimo vistos aqui no Brasil. Totalmente desconhecido para muitos leitores. E é aí, talvez, que esteja a principal vantagem dessa mini-série. Toda a sociedade desses heróis é apresentada nessa primeira edição.

Seus costumes, organização social e política, dilemas dos governantes etc. É uma verdadeira introdução aos Inumanos. Isso sem falar que foi feita de maneira muito competente por Paul Jenkins. Por falar nele, essa foi a obra que o tornou conhecido no mundo dos comics americanos e, nunca é demais lembrar, a série ganhou o Eisner Award – considerado o Oscar dos quadrinhos.

O belo trabalho se completa com a arte de Jae Lee. Linda capa; e os desenhos internos seguem a mesma qualidade, sendo competentemente finalizados com as cores da Avalon Studios. Muito boa a apresentação dos personagens, colocada na contracapa.

De ponto negativo, apenas alguns pequenos problemas de impressão. Em uma página ficou difícil ler as letras brancas contra o fundo negro. Ah, e o preço. O formato menor introduzido pela Mythos poderia ajudar um pouco o bolso dos leitores.

De qualquer maneira, nada disso impede ou atrapalha a apreciação da obra. Sem dúvida, vale a pena.

Classificação

4,0

• Outros artigos escritos por

Assuntos Relacionados

.