J. KENDALL – AVENTURAS DE UMA CRIMINÓLOGA # 32

Por Tiago Pavinato Klein
Data: 1 dezembro, 2007


Título: J. KENDALL – AVENTURAS DE UMA CRIMINÓLOGA # 32 (Mythos
Editora
) – Revista mensal
Autores: Giancarlo Berardi e Giuseppe De Nardo (texto) e Claudio Piccoli (desenhos).

Preço: R$ 7,90

Número de páginas: 128

Data de lançamento: Julho de 2007

Sinopse: Júlia sai em férias e, para descansar, resolve passar uns dias no “Paraíso da Neve”, uma estação de esqui em uma pequena cidade. Lá, conhece Eric Hansen, que lhe ajuda a aprender a esquiar, e com quem ela começa a se envolver.

Mas, misteriosamente, Eric desaparece, e ninguém na cidade parece lembrar-se dele. Júlia resolve investigar o sumiço e descobre um segredo escondido pelos moradores da cidade.

Positivo/negativo: É muito difícil resenhar uma edição de Júlia sem tecer diversos elogios. Com poucas exceções, as histórias são deliciosas e mergulham no íntimo da personagem principal.

Esta história é interessantíssima. Nas primeiras 60 páginas, o leitor confere a habilidade de Berardi (confira aqui sua entrevista exclusiva ao Universo HQ) em construir o cenário da trama: são páginas contando as férias de Júlia, sua aprendizagem no esqui e o relacionamento com Eric Hansen, hóspede do mesmo hotel onde ela está. Não há crime, apenas os olhares misteriosos dos habitantes da gelada cidade nos momentos em que a protagonista está ao lado de seu novo interesse romântico.

Apesar de estar longe de Garden City, há a presença dos personagens secundários da série: as preocupações de Emily por telefone e uma conversa com o Tenente Webb, que apenas reforça a ligação afetiva entre os dois, sempre dissimulada, mas que se mantém edição a edição.

Assim, o leitor pode se deleitar com as férias da personagem, suas quedas na neve, seu relacionamento amoroso – que vai sendo construído lentamente, com belos toques de romantismo.

De repente, a guinada: Eric desaparece e ninguém parece tê-lo visto. Deste fato vem o título da história, O homem-sombra. Resta a Júlia descobrir o que houve. Talvez aí a trama se desenrole rápido demais, pois sobrou metade da revista para a investigação e a conclusão, fazendo com que os acontecimentos se sucedam freneticamente.

Este ritmo faz com que a trama perca um pouco de profundidade, mas ainda
assim o nível é ótimo. E o final é bonito, bem apropriado para a história
e o título da HQ.
 

Classificação:

4,0

• Outros artigos escritos por

.

.

.