JLA & Wild C.A.T.S

Por Marcus Vinicius de Medeiros
Data: 13 abril, 2001

MATERIAL IMPORTADO – INÉDITO NO BRASIL

 .

JLA & Wild C.A.T.SEditoras: DC Comics WildStorm – Edição especial de luxo

Autores: Grant Morrison (argumento), Val Semeiks (desenhos), Kevin Conrad e Ray Krissing (arte-final) e Pat Gaharry (cores).

Preço: U$ 5,95

Data de lançamento: 1997

Sinopse

JLA/Wild C.A.T.S foi o primeiro crossover realizado entre a DC e a WildStorm, quando esta era ainda um estúdio da Image Comics, e a nova revista da Liga começava a consolidar sua posição de destaque no mercado.

A Liga da Justiça (com Superman, Batman, Mulher-Maravilha, Flash e Lanterna Verde – Ajax e Aquaman ficaram de fora, o que acabou por beneficiar o roteiro) abre a história enfrentando Epoch, o Lorde do Tempo, numa batalha que se alterna por diversas eras, até que o vilão deixa-os perdidos num passado remoto.

Com certo esforço, os heróis conseguem reconstituir uma máquina do tempo e retornam ao presente, mas não ao presente que conheciam. Eles haviam sido transportados ao Universo WildStorm.

Vemos, então, os Wild C.A.T.S (Majestic, Bandoleiro, Devota, Lacuna e Marreta) lidando com uma crise caótica, onde o gene responsável por superpoderes ativava-se com uma rapidez jamais vista na população, gerando criaturas monstruosas. Quando a Liga mostra-se presente, o confronto entre as duas equipes é inevitável.

Ao perceber que estavam todos do mesmo lado (claro!), e que Epoch era a causa também dos distúrbios ocorridos em seu universo, os Cats juntam-se à Liga e partem para a batalha decisiva na Terra DC. Encontram o planeta inteiramente conquistado, e um Epoch que evoluiu seus poderes a um nível ilimitado. A batalha, afinal, será mais difícil do que esperavam.

Positivo/Negativo

Duas superequipes de universos diferentes se encontram, lutam entre si e finalmente se aliam contra um inimigo em comum, que ameaça a realidade de ambas. A revista parece seguir uma fórmula batida de crossovers com super-heróis, certo? Até seria, mas temos aqui o texto de Grant Morrison, e o talentoso escocês faz toda a diferença.

Podem ser vistos nesta edição os principais elementos que fizeram de JLA uma das séries mais fortes dos anos 90. Ação em larga escala, caracterizações perfeitas, bom humor e idéias inusitadas, num texto ágil e bem amarrado. JLA/Wild C.A.T.S é entretenimento inteligente e cheio de referências.

Morrison explora as similaridades (Majestic, por exemplo, é uma homenagem ao Super, da fase dos Cats escrita por Alan Moore) e diferenças (pois, mesmo sendo povoado por super-heróis, o Universo WildStorm sempre ostentou uma atmosfera mais cínica) entre as duas equipes numa aventura memorável. E a arte de Val Semeiks é ótima para o gênero. Leitura recomendada. Pena que a Abril não lançou por aqui!

Classificação

4,0

• Outros artigos escritos por

.