Juba & Lula – Operação Super-Homem

Por Milena Azevedo
Data: 22 fevereiro, 2013

Juba & Lula - Operação Super-HomemEditora: Nova Fronteira – Edição especial

Autores: Régis Rocha Moreira (roteiro) e Hector Gómez Alisio (arte e cor).

Preço: não informado na edição

Número de páginas: 48

Data de lançamento: Dezembro de 1988

Sinopse

Juba e Lula enfrentam o Doktor Viktor e sua mirabolante droga Enganol, que cria super-homens instantâneos.

Positivo/Negativo

Armação Ilimitada é certamente um dos mais saudosos seriados da TV brasileira da década de 1980.

Estrelado pelos atores Kadu Moliterno (Juba) e André DiBiasi (Lula), foi ao ar entre 1985 e 1988, trazendo uma linguagem inovadora e deliciosamente pop, embalando aventura, humor, esportes radicais, surf music e quadrinhos.

Era um seriado tão bacana, que repercutiu em outros países, chegando a ganhar o prêmio Ondas, da Sociedade Espanhola de Rádio e Televisão de Barcelona.

Pegando carona naquele sucesso todo, a Nova Fronteira publicou dois álbuns em quadrinhos com a dupla Juba & Lula: Operação Super-Homem e Uma aventura na Amazônia.

O primeiro apresenta os heróis num rápido prefácio, enfatizando o pacto firmado ente eles, que diz: “Ser herói é lutar por aquilo em que se acredita, com força, nobreza e sabedoria”.

Tal qual o seriado de TV, a história é narrada pela DJ Black Boy, num tom bem debochado. Ela informa o leitor que, enquanto Juba e Lula estão a caminho da praia de Ipanema para pegar ondas maneiras, Doktor Viktor, disfarce do médico nazista Klaus Rekengelle (numa referência ao médico alemão Josef Mengele, que fugiu para o Brasil e aqui morreu afogado), está pondo em prática seu plano mirabolante, nas Ilhas Cagarras, em Ipanema, tendo como assistente a ex-espiã Ulla.

Doktor Viktor trabalha para a corporação multinacional SMEGMA – Sujeitos Misteriosos Empenhados em Grandes Malvadezas Associados, extraindo a essência de diferentes esportistas para produzir a droga Enganol, capaz de transformar instantaneamente um homem normal num super-homem. Como o efeito é de curta duração, ele entende que os candidatos a “Rambo” ficarão viciados e comprarão a droga a preço de ouro.

Na praia, Juba e Lula encontram um jovem japonês inconsciente e o levam até a “Morada dos Heróis”. O rapaz revela os planos do Doktor Viktor à dupla e pede ajuda para que o Enganol não seja comercializado. Juba e Lula, então, compram a briga e saem à caça do médico medonho.

A aventura tem um ritmo bom, mas é bastante datada, enfatizando a todo instante que produtos importados eram inferiores aos nacionais (na época em que a HQ foi produzida, estava ocorrendo no Brasil a primeira etapa da política de redução das tarifas de importação, assim uma leva de produtos baratos e de qualidade duvidosa chegou por aqui).

Os diálogos também são datados, repletos de jogos semânticos, mas terminam sendo um deleite para quem vivenciou o período.

O ponto forte do álbum é a arte realista de Hector Gómez Alisio, exímio ilustrador argentino radicado no Brasil, cujos trabalhos mais conhecidos são as HQs de Buffy – A caça-vampiros, episódio da série da DC Comics What If, e a graphic novel brasileira Samsara, escrita pelo cineasta Guilherme de Almeida Prado e publicada pela Globo.

Este álbum de Juba & Lula não é difícil de achar nos sebos virtuais e é um banho de nostalgia para os kyodais oitentistas.

Classificação

3,0

• Outros artigos escritos por

.