Lanterna Verde – Origem Secreta

Por Marcus Vinicius de Medeiros
Data: 3 fevereiro, 2012

Lanterna Verde - Origem SecretaEditora: Panini Comics – Edição especial

Autores: Geoff Johns (roteiro), Ivan Reis (desenhos), Oclair Albert, Júlio Ferreira e Ivan Reis (arte-final) e Randy Mayor (cores) – Publicado originalmente em Green Lantern # 29 a # 35.

Preço: R$ 24,90

Número de páginas: 176

Data de lançamento: Junho de 2011

Sinopse

Hal Jordan, destemido piloto de testes aeronáuticos, é escolhido por um alienígena moribundo para portar seu anel energético e integrar a Tropa dos Lanternas Verdes. Nasce, assim, o mais novo herói cósmico do Universo DC.

Positivo/Negativo

Como vive hoje o auge de sua popularidade, fica difícil imaginar que, um dia, o heroico Lanterna Verde Hal Jordan foi considerado um personagem sem apelo.

Na década de 1990, numa das jogadas editoriais mais controversas da história dos super-heróis, ele enlouqueceu por conta da destruição de Coast City e aniquilou seus companheiros da Tropa dos Lanternas Verdes, sendo substituído pelo novato Kyle Rayner.

O tempo passou, e com ele o efeito da novidade. A DC Comics, então, decidiu trazer Hal de volta à vida – após ter passado uma temporada como o Espectro, espírito da vingança divina na Terra – e escalou para escrever seu retorno o competente Geoff Johns.

Lanterna Verde – Renascimento foi um sucesso estrondoso, e abriu caminho para a nova série mensal do herói, além de uma segunda revista para a Tropa e sagas marcantes como a Guerra dos anéis. Mas isso não foi o bastante para o roteirista, que logo tratou também de recontar, à sua maneira, o passado de Hal e sua primeira aventura.

Em Lanterna Verde – Origem secreta, Geoff Johns e o desenhista brasileiro Ivan Reis reinventam a trajetória inicial de um dos maiores mitos dos quadrinhos de super-heróis, numa aventura de carga emocional notável. As relações de Hal com sua família ganham níveis mais profundos, funcionando como combustível para suas visões de mundo, formação de caráter e ações heroicas.

Como um bom conto de origem, a narrativa viaja até os tempos da infância do protagonista, quando ele assistia ao pai voar até o dia do acidente que ceifou sua vida. Heróis clássicos têm sua trajetória moldada pela tragédia, e o Lanterna Verde mantém a tradição.

Contudo, o efeito em sua vida foi além do ódio por criminosos para transformar um menino impressionável num homem capaz de enfrentar seus maiores medos. É depois de ele sofrer uma segunda perda que surge a presença do alienígena Abin Sur, que mudaria drasticamente os seus dias a partir dali.

Portando o anel energético capaz de manifestar seus desejos, limitado apenas pela força de vontade do usuário e pela cor amarela, Hal Jordan redefine seus propósitos e inicia nova vida com protetor do setor espacial 2814, que inclui a Terra.

Logo, ele passa por uma fase de treinamento em Oa, onde conhece outros Lanternas Verdes e começa a investigar a morte de seu antecessor. É neste ponto que a história apresenta Sinestro, reconhecido como o maior de todos os Lanternas, que futuramente portaria um anel amarelo como inimigo jurado da Tropa.

O roteiro, além de recontar os primeiros dias do herói, funciona como prelúdio para muitas de suas histórias mais significativas. A saga A noite mais densa, também da dupla Johns e Ivan Reis, teve diversas sementes plantadas em Origem secreta, garantindo uma coesão entre essas aventuras cósmicas.

Por outro lado, essa característica pode limitar o apelo de uma história de origem, justamente por ligá-la a outros eventos.

Histórias como Batman – Ano um, Homem de Aço e mesmo Amanhecer esmeralda, versão anterior da origem do Lanterna, tornaram-se clássicos por mérito próprio, sem ligação com grandes eventos da DC Comics, e ainda hoje são apreciadas pelos leitores.

Mas não significa que Origem secreta não funcione isoladamente. Há desenvolvimento de personagens muito bem conduzido e a interação entre Hal Jordan e Sinestro proporciona ótimos momentos. A cena em que o herói novato questiona seus mestres, os Guardiões do Universo, prova o quanto Johns investiu na sua personalidade.

E os belos desenhos de Ivan Reis completam a experiência de imersão nesta realidade cheia de alienígenas diversos e anõezinhos azuis. Um dos principais talentos a se destacar com super-heróis nos últimos tempos, o brasileiro brilha em cenas de ação e ainda compõe quadros icônicos e cheios de vigor. A página dupla com apresentação da Tropa no planeta Oa é exemplo claro.

Geoff Johns e Ivan Reis são uma das equipes criativas mais requisitadas atualmente pela DC Comics, e com esta edição fica fácil entender o motivo.

Classificação

3,5

• Outros artigos escritos por

.