LIGA DA JUSTIÇA # 53

Por Eduardo Nasi
Data: 1 dezembro, 2007


Título: LIGA DA JUSTIÇA # 53 (Panini
Comics
) – Revista mensal

Autores: Uma Vida Perfeita – Geoff Johns (roteiro), Carlos Pacheco (desenhos) e Jesús Merino (arte-final);

Mácula – Geoff Johns (roteiro), Ethan Van Sciver (desenhos), Prentis Rollins e Ethan Van Sciver (arte-final);

Fantasma em Casa – Paul Levitz (roteiro), George Pérez (desenhos) e Bob Wicek (arte-final);

Campo Mental – Bob Harras (roteiro), Tom Derenick (desenhos) e Dan Green (arte-final).

Preço: R$ 6,90

Número de páginas: 96

Data de lançamento: Abril de 2007

Sinopse: Uma Vida Perfeita – Sob efeito da Clemência Negra, o Lanterna Verde Hal Jordan e o Arqueiro Verde precisam escapar de suas realidades idílicas para derrotar Mongul.

Mácula – O vilão Tatuador une dois heróis em conflito: Batman e Hal Jordan.

Fantasma em Casa – Poderosa lê os diários de Lois Lane da Terra-2 e descobre fatos importantes do mundo paralelo em que surgiu.

Campo Mental – Após derrotarem Chave, ex-integrantes da Liga da Justiça precisam decidir qual o tratamento mais correto para um vilão perturbado por uma telepatia incontrolável.

Positivo/Negativo: Pena que a seqüência de histórias Um Mundo sem a Liga da Justiça seja tão fraca. Não fosse pelo trabalho de Bob Harras e equipe, esta seria uma edição memorável de LJA, uma revista que ficou bem abaixo de sua boa média histórica nos últimos meses.

Com heróis e vilões sem personalidade, a última aventura da Liga antes de Um Ano Depois (a partir do mês que vem, as revistas passam a contar histórias que se passam um ano após o final de Crise Infinita) é desanimadora.

Para piorar, alguém decidiu que a história deveria se passar debaixo de uma chuva sem propósito, que serve apenas para piorar a arte. Os desenhos de Derenick chegam a irritar. Ou estão com os riscos de chuva mal-explorados na vertical ou com traços para indicar a direção da ação dos personagens (e aí qualquer lado vale!). Haja olho para abstrair algo dessa confusão visual.

Sorte que as outras histórias da revista são tão bacanas que compensam o carro-chefe.

Em Lanterna Verde, Geoff Johns acertou a mão. História a história, o roteirista vai reinserindo o personagem no Universo DC. Não é moleza – Jordan destruiu uma metrópole, virou uma entidade maléfica, esteve nos eventos que deflagraram a Crise de Identidade, foi substituído pelo modernoso e carismático Kyle Rayner e, ainda por cima, é um peso-pesado da editora. Mas o roteirista optou por reconstruir seu imenso papel passo a passo. Aos poucos, o Lanterna Verde recupera sua imagem de herói.

Em Uma Vida Perfeita, o tema é sua velha parceria com o Arqueiro Verde – vale dar uma espiada numa capa alternativa, publicada no miolo da revista, feita por Neal Adams, artista-símbolo da dupla. Em Mácula, refaz a amizade com Batman.

Johns tem sido ajudado por um timaço de artistas. E esta edição não foge à regra.

Para fazer a última história da Sociedade da Justiça antes de Um Ano Depois, o presidente da DC Comics e roteirista lendário Paul Levitz mostra, em parceria com Pérez, a melhor história da Terra-2 surgida durante Crise Infinita (e não são poucas).

A diferença de Fantasma em Casa para os demais flashbacks é o enfoque humano. A partir de um bloco de memórias de Lois Lane, Levitz aprofunda na relação entre os personagens. É uma trama simples, mas com abertura para o leitor mergulhar no clima saudosista – algo que foi marco desta encarnação da SJA, nas mãos de Geoff Johns.

Classificação:

4,0

• Outros artigos escritos por

.

.

.