LULUZINHA – UMA DUPLA DO BARULHO

Por Sidney Gusman
Data: 1 dezembro, 2008

Autores: John Stanley (roteiro e desenho) e Irving Tripp (arte-final).

Preço: R$ 23,00

Número de páginas: 104

Data de lançamento: Maio de 2008

Sinopse: Este sexto álbum de Luluzinha contém as HQs publicadas originalmente pela Dell Comics, nos Estados Unidos, nas revistas Four Color # 146 (maio de 1947) e # 158 (agosto de 1947).

Positivo/Negativo: Quando a Devir anunciou que lançaria os álbuns de Luluzinha no Brasil, em fóruns pela internet alguns leitores desdenharam do material, “prevendo” que a coleção teria vida curta. Não poderiam estar mais equivocados, felizmente.

A coleção da Devir, que começou em julho de 2006, chega ao sexto livro com bastante fôlego e a editora se mostra bastante feliz com os resultados obtidos.

O fato é que trata-se de um clássico dos quadrinhos mundiais. Talvez em bancas não fizesse tanto sucesso nos dias que correm, mas para livrarias parece um material feito sob medida para resgatar antigos leitores.

Esta edição traz nove histórias, variando de 8 a 14 páginas. São elas: Adivinha quem vem para jantar?, O buquê de flores, O fruto proibido, Um dia muito chuvoso, A chorona, Luluzinha para presidente, Uma doce confusão, O interesseiro e A lâmpada mágica.

Em todas é possível “saborear” aquele gostinho dos quadrinhos antigos, nos quais havia um humor mais puro, sem preocupações com o politicamente correto.

Os destaques da edição são O fruto proibido, com uma divertida seqüência de gags de Bolinha e Luluzinha com o vizinho “seu”Carlos; O interesseiro, com o jovem gordinho se mostrando mais amigo da menina que lhe pagasse mais milk-shakes; e A lâmpada mágica, na qual a protagonista usa sua criatividade para contar (mais) uma história para o encapetado Alvinho.

O desenho de John Stanley (1914-1993) era simples, eficaz, tinha ritmo, além de ser propício para o humor. Não à toa, o artista é considerado o principal responsável pelo sucesso da personagem criada por Marjorie “Marge” Henderson Buell em 23 de fevereiro de 1935, originalmente para uma série de charges publicadas na revista The Saturday Evening Post.

Como a Devir tem realizado um ótimo trabalho com Luluzinha, é só aguardar as próximas edições desta coleção, pois ainda há muitas histórias dessa dupla do barulho para serem relembradas. Ou conhecidas.

Classificação:

4,0

• Outros artigos escritos por

.

.

.