MACANUDO # 3

Por Zé Oliboni
Data: 1 dezembro, 2010

MACANUDO # 3

Editora: Zarabatana – Edição especial

Autor: Liniers (roteiro e arte).

Preço: R$ 39,00

Número de páginas: 96

Data de lançamento: Agosto de 2010

 

Sinopse

Coletânea da série de tiras Macanudo (em espanhol, extraordinário, estupendo) publicadas originalmente no jornal argentino La Nación e atualmente veiculadas pelo jornal brasileiro Folha de S.Paulo.

Positivo/Negativo

Muitas vezes, pensa-se no mercado europeu e norte-americano com lágrimas nos olhos por todas as coisas que parecem boas, mas que dificilmente serão publicadas por aqui. Esse exercício quase automático de “olhar para cima” buscando o melhor dos quadrinhos leva o leitor a negligenciar o que está perto dele.

Alguns anos atrás, o jornalista Eduardo Nasi começou a chamar a atenção do leitor do Universo HQ para as tiras espetaculares de Liniers, praticamente desconhecidas por aqui.

De lá pra cá, descobriu-se a mina de ouro que são os quadrinhos argentinos. Paulo Ramos publicou recentemente o livro Bienvenido, pela Zarabatana, falando exclusivamente sobre as HQs produzidas no nosso vizinho.

A Folha começou a publicar Macanudo desde sua primeira tira. E, em breve, teremos uma edição nacional da tradicional revista Fierro e do clássico El Eternauta.

Não dá para creditar toda essa evolução a Liniers, mas, sem dúvida, a qualidade do seu trabalho ajudou a pavimentar a estrada entre o nosso mercado editorial e o deles.

Nessa conta também deve-se considerar o belo trabalho da Zarabatana, que soube aproveitar o material de Liniers para divulgar os quadrinhos argentinos.

Sobre o álbum em si, há pouco a acrescentar ao que foi dito sobre as edições # 1 e # 2.

A arte de Liniers é genial. Suas lúdicas cores aquareladas e o formato peculiar de seus personagens já fazem escola no Brasil (vide os trabalho mais recentes do jovem cartunista João Montanaro).

Para destacar duas tiras sobre seu trabalho com cores, procure a da Henriqueta, na página 28, e a de um personagem que vê uma borboleta, na 45. Em ambas, o autor usa a transição da tira em branco e preto para uma colorida para mostrar como pequenas coisas alegram a vida.

Dentre os personagens, merecem destaque Lorenzo e Terezita, com o retrato real de um casal apaixonado. E também vale registrar que, neste volume, Liniers começa a se retratar com orelhas de coelho e inicia a divertida série As verdadeiras aventuras de Liniers.

Sobre o projeto gráfico do livro, é interessante notar que as capas são a reprodução de um tecido com o desenho costurado nelas, com direito ao avesso da costura. Algumas outras boas imagens nesse estilo também aparecem no meio da edição.

Evidente que nem todo mundo vai gostar de todas as tiras, algumas até se perdem um pouco na tradução – como a da escola de comediantes -, mas, no geral, Macanudo é imperdível. Engraçado, poético e belo na medida certa. Altamente recomendado para levantar o astral em qualquer dia sem graça.

Classificação:

4,0

• Outros artigos escritos por

.

.

.