MARVEL ACTION # 19

Por Zé Oliboni
Data: 8 setembro, 2009

Autores: Demolidor – Ed Brubaker (roteiro) e Michael Lark e Stefano Gaudiano (arte);

Cavaleiro da Lua – Charlie Huston (roteiro) e Tomm Coker (desenhos);

Justiceiro – Diário de Guerra – Matt Fraction (roteiro) e Ariel Olivetti (arte).

Preço: R$ 6,90

Número de páginas: 96

Data de lançamento: Julho de 2008

Sinopse: Demolidor– Matt Murdock está investigando a estranha droga que dominou as ruas da Cozinha do Inferno, sem saber que quem arquitetou todo o plano contra ele está de olho em Milla.

Justiceiro – Diário de Guerra – O Monge do Ódio descobriu o plano de Castle para se infiltrar na sua organização. Agora, o Justiceiro dependerá de um resgate bem inusitado.

Cavaleiro da Lua – Marc Spector nunca foi famoso por sua sanidade e terá que passar por uma avaliação psicológica para retirar seu registro de super-herói. Enquanto isso, o Francês tem uma conversa com o novo ajudante do Cavaleiro da Lua.

Positivo/Negativo: O mix de Marvel Action deste mês decaiu um pouco devido à história longa e confusa de Cavaleiro da Lua. Essa nova fase tem altos e baixos, mas parece que se desencontrou e a fórmula que tentaram para o herói, no final, não funcionou.

Apesar dos personagens que orbitam em torno dele serem interessantes, os diálogos psicóticos que Marc supostamente tem com Khonshu são pouco funcionais. E sem as cenas violentas de luta do começo e um objetivo mais definido, a série ficou sem rumo.

A arte do alternativo Tomm Coker talvez até ficasse legal nas usuais 22, 23 páginas, mas nesta edição, com o dobro disso, o visual cheio de excessos ficou cansativo.

O restante da revista tem a ação prometida no título da publicação.

Justiceiro – Diário de Guerra nem de longe é tão interessante quanto a versão do Ennis, mas é uma proposta diferente. Trata-se de uma volta ao mundo dos super-heróis, com todas as vantagens e problemas possíveis. Por exemplo: o arco atual tem cenas de ação legais, mas a história evolui a passos de tartaruga.

Demolidor continua valendo o mix todo. Brubaker segue a mesma receita de sucesso de Brian Bendis, inclusive resgatando personagens antigos da cronologia do herói. O vilão da vez, aparentemente armando toda a situação que está complicando a vida de Matt, é Larry Cranston, o segundo Senhor do Medo, um velho inimigo.

Mas o mais interessante é o que está sendo feito com Milla. Desde que ela se casou com Murdock, não teve tido um momento de paz e, agora, passará por um trauma terrível: matar uma pessoa.

Brubaker está construindo uma trama intrigante. Afinal, Milla é a esposa perfeita para Matt, mas pode perfeitamente não aguentar a pressão de ficar com ele.

 

Classificação:

4,0

• Outros artigos escritos por

.

.

.