Merv Pumpkinhead – Agente dos Sonhos # 1 e # 2

Por Sidney Gusman
Data: 28 julho, 2001

Merv Pumpkinhead - Agente dos Sonhos # 1Editora: Opera Graphica – Mini-série em 2 edições

Autores: Bill Willingham (texto), Mark Buckingham (traço), John Stokes (nanquim) e Lee Loughridge (cores)

Preço: R$ 5,90

Data de lançamento: Julho de 2001

Sinopse

Durante uma das ausências de Daniel (o filho de Morpheus, que assumiu seu trono) do Reino dos Sonhos, a criatura de sonhos conhecida como Annie Sobressalto rouba um punhado da areia mágica do Soberano e foge para o mundo desperto. Mas, antes disso, ainda mata dois guardas do palácio.

Durante as investigações do Vice-Lorde Esboçador, Merv Cabeça-de-Abóbora (que vive dizendo a si mesmo que é um sonho importante, que só trabalha como faxineiro para “disfarçar”) implora para que lhe seja confiada a missão de trazer Annie Sobressalto de volta.

Então, ele se “transforma” num agente secreto do Sonhar e ruma para o mundo desperto, onde descobre que o roubo foi ordenado pelo Sr. Potiphar Flush, que planeja dominar o mundo. Para isso, construiu uma máquina que, assim que receber a areia de Sandman, colocará toda a população do planeta pra dormir por 10 dias, deixando-o livre para posicionar as suas forças e implantar uma tal de “Magitocracia”. Além disso, o estratagema implantaria o caos também no Sonhar, possibilitando a Annie dar um “golpe de estado”.

Mas no caminho do vilão há um cara que se chama Abóbora, Merv Cabeça-de-Abóbora…

Positivo/Negativo

Merv sempre foi um personagem secundário no universo de Sandman, mas foi bem aproveitado pelo roteiro de Bill Willigham. A brincadeira que o autor impõe durante toda a narrativa, deixando no ar se o personagem é ou não um “sonho especial” é divertida.

Merv Pumpkinhead - Agente dos Sonhos # 2Outro ponto positivo, por se tratar de uma paródia dos filmes de 007 (até sexo o Cabeça-de-Abóbora faz, acredite!), fica para a boa adaptação dos nomes dos capítulos da aventura, todos baseados em filmes do agente secreto mais famoso do cinema. Assim, o leitor vai topar com A Serviço do Sono de Sua Majestade, O Satânico Doutor Cloaca, Chantagem Atônita, Permissão para Dançar, Gourdfinger (que no título está sem o “D”), Só se Dorme Duas Vezes, As Abóboras são Eternas e A Torta que me Amava.

No final das duas edições há também textos sobre Merv e os habitantes do Sonhar, que ajudam a situar os leitores mais novos.

A principal mancada desta mini-série foi o uso da mesma capa nas duas edições, mudando só a cor das letras. Isso confunde o leitor e pode atrapalhar as vendas. O problema ocorreu porque, nos Estados Unidos, esta história era um one-shot (edição única) e a Opera Graphica preferiu dividi-la.

Outro problema grave da edição brasileira foi a falta de cuidado editorial. Em alguns textos há erros de digitação, como o “se meendo” (faltou um “T”), numa legenda da matéria da primeira edição e o Gourfinger, acima citado.

Também é preciso mais atenção com o português. Na segunda parte da mini-série, também na legenda do artigo no final da revista, aparece um “escursão” (o correto é excursão), um erro crasso.

E, na parte gráfica também ocorreram “pisadas na bola”. Em algumas páginas o texto “vazou” para fora dos balões. Numa delas em especial (a página 20), há uma palavra inteira fora do balão.

Merv Pumpkinhead – Agente dos Sonhos, com certeza, não está no nível da obra criada por Neil Gaiman, em Sandman. Mas é uma boa diversão.

Classificação

2,5

• Outros artigos escritos por

.

.

.